Brasil

Discussão entre homens acaba em morte de jovem atingida com tiro na nuca

Imagens de câmeras de segurança em frente a uma casa de festas de Frutal mostraram que antes da vítima ser baleada houve uma discussão entre os dois suspeitos

Renato Manfrim - Especial para o EM
postado em 16/08/2021 16:00 / atualizado em 16/08/2021 16:10
 (crédito: Redes Sociais/Divulgação)
(crédito: Redes Sociais/Divulgação)

A estudante de Direito da Universidade Estadual de Minas Gerais (UEMG), Yasmin Martins Videira, de 20 anos, foi morta com um tiro na nuca no final da noite deste domingo (15/8), em frente a uma casa de festas na cidade de Frutal, no Triângulo Mineiro.

O suspeito por efetuar o disparo, bem como outro homem, com quem ele discutia instantes antes do crime, estão foragidos. A Polícia Civil (PC) de Frutal busca esclarecer a autoria e a motivação do assassinato.

Segundo informações do boletim de ocorrência da Polícia Militar, imagens de câmeras de segurança do local do crime, no Bairro Progresso, já foram colhidas pela PC, sendo que nelas mostram que houve uma discussão entre dois suspeitos antes de o tiro ser disparado.

Ainda de acordo com o registro policial, o atrito entre eles teria se iniciado momentos antes do tiro, em uma loja de conveniência, sendo que a vítima também estava neste estabelecimento.

Em seguida, os três envolvidos no crime foram para a casa de festas. Em frente ao local, os homens começaram novamente a discussão e, repentinamente, um deles sacou a arma e efetuou o disparo de arma de fogo contra a jovem.

Logo depois, um dos suspeitos fugiu em uma motocicleta e o outro evadiu em um carro.

Equipe do Corpo de Bombeiros chegou a encaminhar a jovem para o Hospital Municipal Frei Gabriel, mas o óbito da jovem foi constatado por equipe médica momentos depois dela dar entrada no hospital.

A linha de investigação, segundo informou o delegado regional Fabrício de Oliveira Altemar ao Blog do Portari, é que houve um erro na execução do crime já que, aparentemente, houve um atrito entre dois homens e, o autor do tiro, pode ter errado a execução e acertado a mulher.

“Estamos ouvindo testemunhas dos fatos e estamos também em busca de esclarecer a autoria do crime, já que há dois suspeitos”, informou Altemar.

Ainda conforme o delegado, outras hipóteses não estão descartadas, como a possibilidade de um feminicídio.


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE