Violência Sexual

Polícia prende suspeito de abusar da filha e estuprar duas enteadas

Uma das meninas tem 12 anos. As outras duas, hoje adultas, foram violentadas na infância e denunciaram padrasto ao saberem que ele abusava da irmã mas nova

Estado de Minas
postado em 10/09/2021 15:42 / atualizado em 10/09/2021 16:46
 (crédito: PCMG / Divulgação )
(crédito: PCMG / Divulgação )

Um cabeleireiro de 47 anos foi preso preventivamente nesta quinta-feira (10/9), na Região Leste de Belo Horizonte, suspeito de abusar sexualmente da própria filha, de 12 anos, e de duas enteadas - hoje, com 19 e 22 anos, respectivamente.

Segundo a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), que detalhou o caso esta manhã, as irmãs mais velhas procuraram a delegacia ao saber que a menor era violentada há mais de um ano. Na oportunidade, denunciaram também os abusos que sofreram na infância, dos 8 aos 14 anos.

A garota relatou à psicóloga da PCMG que era tocada de forma libidinosa. As outras duas moças disseram que chegaram a ser estupradas e sofriam ameaças para manter o silêncio.

As três são filhas da mesma mãe, que morava com o suspeito e a criança na mesma casa. De acordo com a delegada Thais Degani, a mulher disse aos policiais que não sabia dos abusos, mas está sendo investigada por omissão, já que a filha mais velha a acusa de acobertar os crimes. O cabeleireiro nega todos os fatos relatados no inquérito.

Outros abusos


Na mesma coletiva de imprensa, a Polícia Civil mencionou outros dois episódios de violência sexual contra crianças e adolescentes.

Um deles, na Região Noroeste, resultou na prisão preventiva, nessa quinta-feira (9/9), de aposentado de 58 anos pelo abuso de uma menina de 10. O crime ocorreu em 2016. A prisão foi decretada pela Justiça, que condenou o homem em primeira instância a 10 anos de reclusão.

Segundo a delegada Carolina Bechelany, o réu era vizinho da vítima e praticou o estupro dentro da casa dela.

"Ele se aproveitou do fato de que a criança estava sozinha em casa, usou a desculpa de que teria que pegar a ferramenta que emprestou ao casal e praticou os atos libidinosos. A criança fez um relato espontâneo da situação no momento para os pais, que foram à delegacia imediatamente", disse a policial.

O terceiro caso de abuso envolve um adolescente de 13 anos. Conforme o inquérito, ele teria sido abusado por um homem de 40. O menino relata que foi forçado a praticar sexo oral e a trocar carícias com o suspeito, que mora no mesmo terreno que ele.

O crime teria ocorrido na casa do homem, que convidou o garoto para assistir a um filme. O suspeito também teria enviado fotos de sua genitália para o menor. O suspeito teve o celular apreendido e está sendo investigado.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE