MEMÓRIA

Marília Mendonça era fã do rap feito na capital

Rapper Japão, do Viela 17, contou ao Correio os momentos de admiração e amizade com a sertaneja

José Carlos Vieira
postado em 07/11/2021 06:00
Adjetivos da sertaneja seguem positivos mesmo em artistas de distintos gêneros  -  (crédito: Instagram/Reprodução)
Adjetivos da sertaneja seguem positivos mesmo em artistas de distintos gêneros - (crédito: Instagram/Reprodução)

A música de Brasília, inclusive o rap, era apreciada por Marília Mendonça. O rapper Japão, do Viela 17, falou com o Correio, sobre essa admiração mútua. "Marília foi uma menina criada em periferia, em um reduto sertanejo, mas ela tinha uma mente incrível e aberta a estilos musicais. Meu primeiro contato com ela foi uma grata surpresa, ela postou um vídeo cantando Enterro de um neguim, do grupo Atitude Feminina, e eu fui ao post e comentei, ela, sempre generosa, respondeu e falou sobre a importância do rap na infância dela", lembra o artista.

Para surpresa de Japão, Marília se emocionou com a conversa on-line. "Marília disse ainda que ela e os amigos Henrique e Juliano passavam horas ouvindo minha música Só curto o que é boom. Destacou também que eles tinham nesse rap, um ponto de reflexão, e que churrasco, sem essa música, na infância, não existia, fiquei envaidecido e feliz".

O rapper acrescenta que Marília tinha um apreço enorme pelo rap e "fazia parte da sua formação como pessoa e cidadã". Não é difícil encontrar vídeos da artista cantando Tribo da Periferia, Hungria, Racionais, MV Bill e vários outros artistas do rap nacional. "Ela parte e deixa um legado de amor e respeito a músicas periféricas. A sua estada na terra jamais será esquecida, não somente pelo dom artístico, mas também pela grande compositora, mãe e ser humano sem igual. Deixo aqui a minha solidariedade aos familiares da Marília, assim como de todos os passageiros da aeronave".

Em Natal, antes de se apresentar, Nando Reis, emocionado, homenageou Marília. "À querida Marília Mendonça e a todos que se foram nessa tragédia que vive o Brasil nesses anos. Espero, com a música de hoje, (oferecer) conforto, a música do amor e a lembrança do amor. Enquanto estamos vivos, temos sempre de expressar o amor, defender o amor". Gilberto Gil fez o mesmo em Portugal. "Lamento profundamente esta triste notícia momentos antes de entrar no palco. Hoje, o show em Braga, em Portugal, será dedicado a você (Marília)".

A cantora Rosa Passos, pelas redes sociais, destacou que "existem artistas que têm uma enorme força e uma garra incrível para mostrar o talento com estilo, falando do sofrimento, das desilusões amorosas nas suas canções, consolando os corações, assim era Marília Mendonça. O seu estilo era diferente do meu, mas o mais importante é que ela fazia a sua 'música do coração'".

CONTINUE LENDO SOBRE