Triangulo Mineiro

Adolescente de 13 anos acusa homem que conheceu via rede social de estupro

Após saírem de uma pizzaria, suspeito convenceu a jovem a ir para a sua casa, onde ele teria forçado a relação sexual

Renato Manfrim - Especial para o Estado de Minas
postado em 09/11/2021 16:51
A adolescente foi encaminhada ao HC-UFTM, onde recebeu atendimento médico -  (crédito: UFTM/Divulgação)
A adolescente foi encaminhada ao HC-UFTM, onde recebeu atendimento médico - (crédito: UFTM/Divulgação)

A família de uma adolescente de 13 anos acionou a polícia em Uberaba, no Triângulo Mineiro, para denunciar que a jovem foi estuprada, no último final de semana, por um homem de 23 que ela conheceu pelas redes sociais. O suspeito está foragido.

De acordo com relato da estudante à Polícia Militar (PM), ela conheceu o rapaz na última sexta-feira (5/11), sendo que no sábado eles se encontraram em uma pizzaria, juntamente de sua irmã, de 17 anos, e seu cunhado.

A adolescente relatou aos militares que, após comerem a pizza, a irmã a deixou em casa, junto com o jovem. Neste momento, ainda segundo a garota, o suspeito começou a insistir para que ela fosse dormir na casa dele, no Bairro Chica Ferreira.

Inicialmente a estudante negou, mas depois aceitou, ressaltando para ele que iriam apenas dormir. Ela contou que eles foram até à residência do jovem, pedindo o serviço de aplicativo de carros.

A adolescente relatou aos militares que, ao chegarem no local, o rapaz começou a insistir para que eles tivessem relações sexuais e que ela respndeu que não queria, porque ainda “não estava pronta”. Mas o suspeito teria apagado as luzes e forçado a relação sexual.

No domingo, ela contou que o suspeito solicitou uma corrida via aplicativo para que ela voltasse para casa. Foi neste momento que ela contou para sua mãe que havia sido estuprada.

A mãe da adolescente procurou o Conselho Tutelar, que as conduziu para o Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (HC-UFTM) para que a adolescente realizasse exames e o tratamento preventivo de doenças sexualmente transmissíveis.

O caso foi encaminhado à Delegacia de Orientação e Proteção à Família de Uberaba.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE