chuvas fortes

Pelo menos seis pessoas morreram em decorrência das chuvas em Minas Gerais

Mais de 60 cidades decretaram situação de emergência. A situação é mais grave no norte do estado

Taísa Medeiros
postado em 29/12/2021 21:36
 (crédito: Marco Evangelista / Imprensa MG)
(crédito: Marco Evangelista / Imprensa MG)

As fortes chuvas, que tiraram a vida de 21 pessoas no estado da Bahia, também fizeram vítimas fatais em Minas Gerais. Pelo menos seis pessoas morreram por conta dos desastres decorrentes das precipitações. No estado mineiro, 63 cidades decretaram situação de emergência. A Defesa Civil comunicou a interdição de quatro pontes e inúmeros pontos de alagamento.

Os estragos se concentram principalmente no norte do estado, nas cidades de Pedra Azul e Salinas. O período chuvoso no estado começou em outubro e vai até março de 2022. Até o momento cerca de 10 mil pessoas foram desalojadas e 2 mil desabrigadas devido às chuvas. Somente em Salinas são 1,3 mil desalojados.

O principal motivo para as inundações foi o aumento do volume dos rios Salinas, Bananal e Ribeirão, que cortam as cidades, atingindo áreas urbanas e rurais. Em Salinas, por exemplo, as chuvas se intensificaram na noite do dia 27/12, chegando a 130 milímetros.

O governador do estado, Romeu Zema (Novo), esteve nos locais para ver os problemas causados pelo alto volume de precipitação. “Já foi solicitada ajuda aos helicópteros da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros às pessoas que necessitam se deslocar, mas que estão impossibilitadas”, disse o governador, em coletiva realizada no local.

O governador afirmou que pediu apoio ao governo federal para pedir apoio. “Conversei com o ministro Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional) e o governo federal se comprometeu a repassar, em janeiro, uma verba que vai ajudar na reconstrução de moradias”, disse.

As mortes decorrentes das fortes chuvas foram registradas nas cidades de Uberaba, Coronel Fabriciano, Nova Serrana, Engenheiro Caldas, Pescador e Montes Claros.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE