COVID-19

Após casos de covid, Anvisa pede cancelamento de cruzeiros 'sob pena de risco à saúde pública'

A recomendação da Agência leva em consideração a mudança rápida no cenário epidemiológico, o risco de prejuízos à saúde dos passageiros e a imprevisibilidade das operações neste momento, informou

Ingrid Soares
postado em 02/01/2022 20:27 / atualizado em 02/01/2022 21:51

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) contraindicou, neste domingo (02/01), o embarque de passageiros que possuem viagens programadas em navios de cruzeiro para os próximos dias, em especial diante dos aumentos vertiginosos de casos de Covid-19 com identificação de surtos a bordo das embarcações que operam na costa brasileira. A recomendação da Agência leva em consideração a mudança rápida no cenário epidemiológico, o risco de prejuízos à saúde dos passageiros e a imprevisibilidade das operações neste momento.

MSC Splendida

A agência reguladora informou ainda sobre o impedimento de embarque de mais de 3.000 passageiros no  navio MSC Splendida, ainda hoje. A embarcação  teve operação interrompida no dia 30 e teve 78 casos confirmados da doença, com 51 tripulantes e 27 passageiros infectados. Foram identificadas 54 pessoas que tiveram contatos com os contaminados por coronavírus. Todas as 132 pessoas, casos positivos e contatos próximos, foram desembarcadas no porto de Santos, no estado de São Paulo. A suspeita é da variante Ômicron.

Apesar do surto de positivados, o MSC Splendida manteve os itinerários e chegou a anunciar nova viagem para o começo da noite. Ele seguiria para Porto Belo, Balneário Camboriú, Ilhabela, Cabo Frio e retornaria para Santos no domingo (8). Em nota, a empresa relatou que todos os procedimentos de embarque foram reformulados, com horários de chegada no porto pré-definidos e escalonados para gerenciar o fluxo de hóspedes. No entanto, o embarque foi suspenso após a multidão de passageiros se apresentar no terminal. Eles receberam o comunicado sobre o cancelamento no início da noite.

A Anvisa informou ainda que a decisão ocorreu devido ao reconhecimento pelas autoridades locais de saúde e da própria agência da existência de transmissão sustentada de Covid-19 entre tripulantes. A embarcação havia sido notificada no sábado (01/01) sobre o impedimento de embarque, relatou.

"As investigações conduzidas nos últimos dias demonstram que o vírus Sars-Cov-2 se espalha facilmente entre pessoas próximas a bordo de navios e a chance de contrair Covid-19 em navios de cruzeiro é alta.
Assim, a recomendação visa proteger a saúde da população e evitar transtornos aos viajantes, considerando-se a possibilidade de interrupção e redução das programações dos navios por decisão sanitária, as indefinições que podem ocorrer para embarque e desembarque, com eventual necessidade de desembarque em porto diferente do inicialmente planejado e a possibilidade de quarentena dos navios, o que pode representar um desconforto para todos", completou.

Recomendação de suspensão da temporada

A Anvisa reforçou também a urgência da imediata interrupção da temporada de navios de cruzeiro no Brasil e acrescentou que, apesar dos esforços para controlar a situação sanitária das embarcações, as ações são gravemente impactadas por falhas no cumprimento dos protocolos pactuados para início da temporada.

"Em razão do grave risco à saúde da população, a Anvisa já recomendou ao Ministério da Saúde, desde o dia 31/12, que revisitasse a posição sobre a temporada de navios de cruzeiro disposta na Portaria GM/MS nº 2.928, de 2021, até que seja reavaliado o cenário sanitário e epidemiológico".

Por fim, disse aguardar "a rápida e urgente manifestação do Ministério da Saúde, sob pena de graves episódios sanitários com risco à saúde pública". 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE