Baixas Temperaturas

Chuveiros elétricos: saiba como usá-los e e não sobrecarregá-lo no frio

Conheça as principais orientações para manter o bom funcionamento do aparelho e evitar acidentes domésticos, além de economizar água, energia e também na conta

Estado de Minas
postado em 24/05/2022 17:43
Com os termômetros em 10°C, é comum exagerar na potência de chuveiros elétricos, mas é preciso cuidado com a sobrecarga -  (crédito: Kevin Baquerizo/Unsplash )
Com os termômetros em 10°C, é comum exagerar na potência de chuveiros elétricos, mas é preciso cuidado com a sobrecarga - (crédito: Kevin Baquerizo/Unsplash )

Com a queda da temperatura na maior parte do Brasil, antes mesmo da chegada do inverno, os banhos quentes se tornaram a única opção para manter a higiene pessoal de forma confortável, para muitas pessoas. Com os termômetros em 10°C em grande parte de Minas Gerais, é comum exagerar na potência de chuveiros elétricos para manter o bem-estar.

Segundo dados do Ministério das Minas e Energia, 73% dos lares brasileiros ainda adotam a alternativa elétrica para o aquecimento, em sistemas a gás ou solar. Por isso, é pertinente que todos adotem cuidados para evitar problemas com o aparelho, que pode ser sobrecarregado e, em casos extremos, provocar choques.

De acordo com o coordenador do curso de engenharia elétrica da Faculdade Pitágoras, professor Lucas Pereira, os erros mais comuns em relação ao chuveiro estão relacionados ao aterramento da instalação, popularmente conhecida como ‘fio terra’, e à conexão dos terminais feita de modo inadequado.

"A instalação é sempre muito importante, pois as fugas de corrente elétrica podem causar acidentes. Além disso, as conexões devem ser bem isoladas para que não ocorra aquecimento da fiação", destaca o engenheiro.

Lucas Pereira explica que o calor gerado pelo resistor do aparelho é transferido para a água do encanamento sem que a eletricidade vá para o líquido ou para o corpo humano, que têm menor oposição à passagem de corrente. "A temperatura do banho irá depender da potência do aparelho e do fluxo e da temperatura da água que passa pelo chuveiro. Por isso, o recurso de fechar levemente o registro para o aquecimento ser suficiente", ensina.

O engenheiro explica que a função do aterramento elétrico "é descarregar as cargas acumuladas do chuveiro para a terra, facilitar o funcionamento dos dispositivos como disjuntores e, principalmente, proteger o usuário". Por isso, ele deve ser feito por um profissional.

Ligar os aquecedores diretamente em tomadas, que não conseguem aguentar a alta corrente, é uma prática proibida pela Norma Técnica Brasileira (NBR) 5410, que determina as condições necessárias para instalações elétricas de baixa tensão.

Cuidados

Lucas Pereira indica alguns cuidados domésticos para evitar acidentes. Segundo ele, é recomendado utilizar tapetes de borracha ou chinelos no chuveiro para que não haja contato direto com o chão. As trocas de chaves de temperatura também só devem ser feitas quando o aparelho estiver desligado e o tempo do banho quente também deve ser controlado.


Manutenção

A manutenção periódica também é necessária para o bom funcionamento. O engenheiro lembra que os orifícios do aparelho devem ser limpos de forma recorrente para que a pressão da água não danifique fisicamente o chuveiro. Para esse processo, é importante que o morador desligue o disjuntor ou a chave geral de energia.

O professor alerta que, uma vez queimada, a resistência jamais deve ser reaproveitada. "É importante que não sejam adotadas estratégias sem validação de um eletricista, como remendos e adaptações. Além de colocar as pessoas em risco, essas saídas podem provocar aumento da conta de luz".

Dicas para economizar na hora do banho

Com a chegada de uma frente fria, é natural correr até o chuveiro elétrico e mudar a temperatura para a maior potência possível. Mas se não tiver disciplina na hora do banho, o uso do equipamento pode elevar muito a conta de energia e se tornar um dos grandes vilões da economia doméstica. Portanto, cuidado com os banhos mais longos e com a regulagem do chuveiro.

Thiago Douglas Ribeiro Batista, engenheiro de eficiência de energética da Cemig, alerta: "Uma hora de banho na temperatura ‘inverno’ por dia pode equivaler a dois televisores ligados durante 24 horas. O chuveiro é um equipamento com elevada potência e isso faz com que ele gaste mais energia do que outros eletrodomésticos".

Porém, algumas atitudes podem ajudar na redução do gasto com eletricidade, mesmo nessa época do ano. Em primeiro lugar, é aconselhável ficar de olho no tempo de uso do chuveiro para reduzi-lo ao máximo, sem prejuízo para a higiene e o conforto. Além disso, fechar a torneira quando for ensaboar o corpo e lavar os cabelos interrompe o funcionamento do equipamento e o consumo de eletricidade.

Nas cidades de Minas Gerais com clima mais ameno, usar a chave de temperatura na posição “morna” ou “verão” também ajuda a economizar. “Na posição ‘verão’, o consumo de energia cai 30%, o que, em uma residência, pode significar uma redução no consumo ao final do mês de até 10%”, explica o engenheiro da Cemig.

Outra dica é aproveitar para tomar banhos nos horários mais quentes do dia e manter as portas e janelas do banheiro fechadas para melhorar o conforto térmico.

Como escolher o melhor chuveiro?

Atualmente, as lojas de materiais elétricos e de construção oferecem uma grande variedade de chuveiros, mas, na hora de escolher um novo equipamento, o consumidor deve ficar de olho na potência do aparelho, quanto maior a potência, maior o consumo. Chuveiros com potência de 5.500 watts, por exemplo, gastam 20% a mais do que com potência de 4.500 watts, nas mesmas condições de uso.

Modelos de menor potência têm uma menor capacidade de aquecimento, contudo é possível manter a temperatura da água em um nível de conforto controlando a vazão, ou seja, não abrindo demasiadamente a torneira e mantendo um volume de água adequado. Com este procedimento, o funcionamento do chuveiro não muda, mas a menor quantidade de água é aquecida mais rapidamente e a um nível de temperatura maior.

Alguns chuveiros vêm atualmente com um dispositivo de ajuste eletrônico, que permite uma múltipla seleção de temperatura, evitando assim a utilização exclusiva da potência máxima nos dias mais frios. “Esse recurso pode ser interessante para economia de energia, visto que proporciona maior quantidade de ajustes das temperaturas intermediárias. Desta forma, o equipamento tem mais opções e não precisa ficar apenas nas três posições dos chuveiros e duchas tradicionais (inverno, verão e desligado)”, explica Thiago Douglas.

Troca de resistência requer cuidados: saiba como fazer

Trocar a resistência queimada do chuveiro é uma tarefa relativamente simples, mas, como qualquer execução de serviços na instalação elétrica, pode provocar choques se os devidos cuidados não forem tomados. Por isso, o mais prudente é que um profissional faça o serviço.

Para fazer a substituição, a Cemig recomenda as seguintes medidas de segurança:

1. Para qualquer intervenção nas instalações elétricas da residência, o disjuntor correspondente ao circuito elétrico deve ser desligado
2. Sempre adquira uma resistência nas mesmas características da original queimada; alterar pode comprometer a qualidade do produto, bem como as instalações elétricas, que já estavam projetadas para a resistência utilizada anteriormente
3. Após substituir a resistência e antes de ligar o disjuntor, abra a torneira e deixe-a aberta alguns segundos, o suficiente para que ela possa encher o chuveiro completamente de água, pois este procedimento evita a queima da resistência instalada
4. Utilize sempre conectores apropriados
5. No caso de substituição do chuveiro, verifique se a potência é compatível com a potência do chuveiro a ser instalado. Caso o novo equipamento tenha uma potência mais elevada, a instalação elétrica da residência deverá passar por uma inspeção de um profissional qualificado.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE