Desaparecimento

Embaixador informa família que corpos foram encontrados no AM, diz site

Jornalista e indigenista sumiram há mais de uma semana no Vale do Javari, no Amazonas; a PF e a Univaja negaram que tenham sido encontrados corpos

Thays Martins
postado em 13/06/2022 10:38
 (crédito:  Carlos Vieira/CB)
(crédito: Carlos Vieira/CB)

O jornal britânico The Guardian informou que corpos foram encontrados nas buscas pelo indigenista Bruno Pereira e pelo jornalista britânico Dom Phillips na Amazônia. De acordo com o jornal, onde Dom Phillips era colaborador, a informação foi repassada pelo embaixador do Reino Unido aos familiares do jornalista. A Polícia Federal e a União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Univaja) negaram que tenham sido encontrados corpos. 

De acordo com a PF, foram encontrados materiais biológicos que estão sendo periciados e 
pertences pessoais dos desaparecidos, o que já havia sido noticiado. "Não procedem as informações que estão sendo divulgadas a respeito de terem sido encontrados os corpos do Sr. Bruno Pereira e do Sr. Dom Phillips", diz a nota. 

A esposa do jornalista britânico, Alessandra Pereira, disse à TV Globo que ela foi informada de que os corpos foram localizados, mas que ainda precisam ser periciados para confirmar se realmente são os dois. De acordo com o The Guardian, os corpos foram encontrados amarrados em uma árvore.  "Ele não descreveu o local e apenas disse que era na floresta e disse que eles estavam amarrados a uma árvore e ainda não haviam sido identificados”, disse Paul Sherwood, cunhado de Phillips, ao The Guardian.

Ao Correio, a Embaixada disse que não está autorizada a confirmar nenhuma informação. 

Os dois sumiram na região do Vale do Javari, na Amazônia, no domingo (5/6), durante trajeto entre a comunidade Ribeirinha São Rafael e a cidade de Atalaia do Norte. A viagem duraria cerca de 2 horas.

Ontem, as equipes de buscas, lideradas por indígenas, já tinham localizado os pertences dos dois. Foram achados um cartão de saúde, chinelo, botas e roupas dentro de uma mochila.

De acordo com a União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Univaja), Bruno Pereira já vinha recebendo ameaças de invasores da Terra Indígena.

Durante a investigação, uma pessoa foi presa suspeita de envolvimento com o sumiço dos dois. Amarildo da Costa Oliveira, conhecido como Pelado, foi preso preventivamente na quinta-feira (9/6). Ele nega envolvimento. 

Na sexta, também foi encontrado “material orgânico aparentemente humano”, próximo ao porto de Atalaia Norte. A perícia ainda não confirmou se o material pertence a algum dos dois.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE