JUIZ DE FORA

Laudo aponta falha humana em acidente que matou motorista em Juiz de Fora

Ônibus da empresa Tusmil atingiu trabalhador após motorista que dirigia o coletivo se esquecer de puxar o freio de mão

Matheus Brum - Especial para o EM
postado em 16/06/2022 20:10 / atualizado em 16/06/2022 20:10
 (crédito: Polícia Militar/Divulgação)
(crédito: Polícia Militar/Divulgação)

O Consórcio Manchester, um dos operadores do transporte público em Juiz de Fora, na Zona da Mata Mineira, divulgou o resultado de um laudo pericial contratado pela própria empresa para investigar o acidente que matou o motorista Francisco Venâncio Pereira Filho, de 62 anos, no dia 4 de junho.

Francisco estava na porta da garagem da Tusmil, empresa que integra o Consórcio, quando foi atingido por um ônibus que desceu a rampa da garagem.

O Estado de Minas teve acesso ao documento assinado pelo perito Francisco de Assis Mouro. Segundo ele, não houve falha mecânica no ônibus, e sim erro humano, pois o motorista que dirigia o coletivo não puxou o freio de mão. Assim, o veículo acabou descendo a rampa da garagem.

“O evento sob estudo decorreu da imperícia e do desatento procedimento por parte do condutor do veículo 504 [que atropelou Francisco], que não acionou a alavanca de freio de estacionamento [freio de mão], que, desta forma, impediria o deslocamento de recuo e descida pela rampa”, diz trecho do relatório.

Para a conclusão, o perito informou ter visto as câmeras de segurança do ônibus, as imagens de videomonitoramento da garagem da Tusmil e também uma análise sobre as condições do veículo que causou o acidente.

'Lugar inapropriado'

O documento informou também que Francisco Venâncio estava em um lugar impróprio para pedestre. “Devendo ainda aqui enfatizar que o pedestre, vítima atropelada, se postava em local inapropriado, junto a guarita da portaria, área de acesso de veículos, entrada para a rampa”.

O especialista ainda ressaltou que o veículo que atropelou Francisco Venâncio não apresentava falhas técnicas. Segundo Mouro, outros dois coletivos foram testados, sendo um deles escolhido de forma aleatória, sem apresentar problema.

“Ora enfatizando, que o veículo foi testado na ocasião do evento por este analista, conforme mencionado, podendo afirmar com segurança, que o veículo em nenhum momento apresentou pane em seus sistemas de freios”.

Polícia Civil investiga a morte

A Polícia Civil abriu investigação para apurar o acidente que matou Francisco Venâncio Pereira Filho. O Ministério Público do Trabalho e a Prefeitura de Juiz de Fora acompanham o caso.

O laudo divulgado pelo Consórcio Manchester foi contratado pela própria empresa. A PC ainda não divulgou detalhes sobre o inquérito.

Em nota, o Consórcio informou que “lamenta profundamente o ocorrido, tendo prestado total apoio e solidariedade tanto à família de seu funcionário Francisco Venâncio, quanto ao motorista que conduzia o carro no momento do acidente, oferecendo todo o acompanhamento necessário à sua saúde”.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE