CELEBRIDADES ANIMAIS

Wagner Moura e Taylor Swift: ONG dá nome de famosos para animais em adoção

Organização de São Paulo usa nomes de celebridades para chamar atenção e conseguir novas famílias para cães e gatos

Cãezinhos com nomes de galãs foram adotados. Agora, ONG busca lares para gatinhos com nomes de cantores -  (crédito: Instagram / @adotevica)
Cãezinhos com nomes de galãs foram adotados. Agora, ONG busca lares para gatinhos com nomes de cantores - (crédito: Instagram / @adotevica)
Maria Dulce Miranda - Estado de Minas
postado em 07/02/2024 11:37

Já pensou em morar com o Wagner Moura ou fazer cafuné na Taylor Swift? Uma organização de São Paulo pode permitir isso. Isso porque a Adote Vica, centro de adoção e petshop, batiza cães e gatos com os nomes das celebridades. A iniciativa visa chamar atenção das pessoas para os bichinhos e, assim, conseguir um novo lar para eles.

Uma postagem reúne cães que ganharam nomes de galãs brasileiros. Wagner Moura, Chay Suede, Alexandre Nero, Rodrigo Santoro, Antônio Fagundes e Chay Suede aparecem lado a lado em uma montagem, com as principais características de cada um. A publicação viralizou e deu resultado: todos os galãs foram adotados.

“Eu adotei o Rodrigo Santoro!!! Que agora é Tom! Meu galã”, contou um perfil em uma das reportagens da imagem. Agora, a instituição publicou uma imagem que mostra alguns gatinhos “famosos” disponíveis para adoção.

Além de Taylor Swift, tem também Lana (del Rey), Cindy (Lauper), Ozzy, David Bowie e Billie (Eilish) – todos muito fofinhos esperando encontrar um lar cheio de amor. Outros animaizinhos com nome mais comum também estão disponíveis para adoção e são anunciados no perfil do Instagram do projeto. Mas, para adotar, é preciso seguir algumas regras.

Em primeiro lugar, é preciso ter mais de 18 anos e ir pessoalmente ao centro de adoção, que fica no bairro Jardins, em São Paulo. Lá, o interessado deve apresentar um documento com foto e preencher um termo de adoção com validade jurídica. Depois, a pessoa é avaliada por membros da organização.

Caso aprovado, é necessário pagar uma taxa de R$ 150. Segundo a instituição, o dinheiro é uma forma de evitar adoções por impulso. O dinheiro é destinado para manter o projeto.

Nos casos de animais resgatados e que ainda não foram castrados, a castração é feita pela Adote Vica, antes de realizar a adoção. Nesses casos, o adotante também deve arcar com os custos da castração, que varia de acordo com o tipo de anestesia, peso e sexo do animal.

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br