Cidadania

Pagamento do Bolsa Família começa nesta terça; Confira o calendário

O dia do pagamento é definido pelo último número do NIS de cada beneficiário: no mês de agosto, os favorecidos são os que têm dígito 1 como final

Correio Braziliense
postado em 17/08/2020 19:33 / atualizado em 17/08/2020 19:33
 (foto: Divulgação/Setras/TO)
(foto: Divulgação/Setras/TO)

O pagamento do bolsa família referente ao mês de agosto começa nesta terça-feira (18/8) para os favorecidos com dígito 1 como final do Número de Identificação Social (NIS). De acordo com o calendário do programa, os depósitos ocorrerão até 31 de agosto. Confira quando cada cidadão poderá sacar o benefício.

Na quarta-feira (19/8), o valor estará disponível para pessoas com NIS terminado em 2, no próximo dia (20/8), os beneficiários com final 3 poderão utilizar o pagamento e na quinta (21/8), é a vez dos cidadãos com último número do NIS, 4.

A partir da próxima segunda-feira (24/8), receberão o benefício os favorecidos com dígito 5 como final do NIS e aqueles com o número 6 vão ter acesso à quantia na terça (25/8). Em 26 de agosto, o saque estará liberado para os cidadãos com 7 como último número.

As pessoas com NIS de final 8 deverão sacar o bolsa família na quinta-feira (27/8) e os beneficiários de final 9, na sexta (29/8). Por fim, o benefício ficará disponível aos favorecidos com zero como o último número do NIS.

O Bolsa Família é direcionado às famílias em situação de pobreza e de extrema pobreza em todo o Brasil por meio de transferência direta de renda. O programa tem o objetivo de auxiliar as pessoas a superar a situação de vulnerabilidade e pobreza, além de visar garantir o direito à alimentação, acesso à educação e à saúde.

Cadastro

Para usufruir do benefício do Governo Federal, o cidadão precisa ter a família registrada no Cadastro Único dos Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico). O Ministério do Desenvolvimento Social, responsável pela seleção dos favorecidos, analisará o cadastro com base nos dados inseridos pelas prefeituras no CadÚnico.

Se houver gestantes na família é obrigatório o comparecimento às consultas de pré-natal, segundo o calendário indicado pelo Ministério da Saúde (MS) e também a Participação em atividades educativas ofertadas pelo MS sobre aleitamento materno e alimentação saudável, no caso de inclusão de mães que amamentam (nutrizes).

E ainda, manter em dia o cartão de vacinação das crianças de 0 a 7 anos; Realizar acompanhamento da saúde de mulheres na faixa de 14 a 44 anos; Garantir frequência mínima de 85% na escola, para crianças e adolescentes de 6 a 15 anos, e de 75%, para adolescentes de 16 e 17 anos.

*Com informações da Caixa Econômica Federal

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação