Obituário

Washington Novaes foi pioneiro e lutou pela defesa do meio ambiente

Militante pelas causas ambientais, o jornalista Washington Novais perde a luta contra o câncer no intestino na madrugada desta terça-feira (25/8)

Cibele Moreira
postado em 25/08/2020 17:25 / atualizado em 25/08/2020 17:25
Washington Novaes foi um dos primeiros a se engajar no jornalismo ambiental quando se falava apenas em desmatamento -  (foto: Marcelo Novaes/Divulgação)
Washington Novaes foi um dos primeiros a se engajar no jornalismo ambiental quando se falava apenas em desmatamento - (foto: Marcelo Novaes/Divulgação)

O jornalista Washington Novaes, 86 anos, deixa um grande legado ao jornalismo ambiental e às causas ligadas ao meio ambiente e indígenas. Ele faleceu na madrugada desta terça-feira (25/8), após complicações de uma cirurgia para a retirada de tumor no intestino. Pouco tempo depois do comunicado da morte, amigos e colegas de profissão prestaram homenagem ao comunicador que atuou em vários veículos de comunicação, além de ter tido uma passagem rápida — porém importante — na Secretaria de Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia (Sematec) nos anos de 1991 e 1992, no governo de Joaquim Roriz.

Ao Correio, o atual secretário de Comunicação, Wellington Moraes, relembra da época que trabalharam juntos no Executivo local. “Companheiro de equipe competente, com uma sensibilidade técnica. Washington Novaes revolucionou o setor público com as causas ambientais na Secretaria do Meio Ambiente”, pontua o gestor. Antes de ocupar o cargo público, Novaes atuou também na campanha eleitoral de Joaquim Roriz no primeiro mandato do ex-governador, em 1990. Ele participou do poder público durante dois anos e deixou o cargo para se dedicar à militância ambiental.

Foi pela cobertura especializada nas questões ambientais e na defesa dos povos indígenas que Washington Novaes se destacou. Trabalhou em veículos de comunicação de renome, publicou livros e ganhou prêmios. Quem o conheceu de perto traz o sentimento de gratidão e admiração. O produtor de televisão e publicitário Hamilton Carneiro, 72, conta, com muito orgulho, sobre o trabalho do jornalista no Estado de Goiás.

“Eu não vejo ninguém com a sabedoria dele no jornalismo ambiental. Ele entrou no ramo quando só se falava em desmatamento. E fez diferente, procurou conscientizar sobre as causas ambientais e a defesa do Cerrado”, ressalta Hamilton Carneiro. O publicitário lembra que conheceu Washington em 1984, quando o jornalista chegou no estado goiano. Os dois chegaram a trabalhar juntos e a amizade se enraizou e se transformou em uma admiração ímpar. Hamilton não sabia da doença de Novaes e a notícia de sua morte o pegou de surpresa. “Foi um susto muito grande. Ele deixou uma saudade muito grande, é uma perda irreparável”, pontuou.

Para Hamilton, a grande conquista de Washington Novaes foi dar esse destaque para o cerrado, com o combate às queimadas e ao desmatamento. O tema virou até uma canção escrita pelo publicitário e musicada por Marcelo Barra em homenagem a Novaes. Em 2011, a canção foi apresentada ao vivo para o jornalista em um encontro intimista. O registro foi gravado e cedido ao Correio.

Natural de Vargem Grande do Sul, interior de São Paulo, o corpo do jornalista será encaminhado para a cidade paulista para ser enterrado na cidade natal. Nesta terça-feira (25/8), amigos e familiares puderam se despedir em um velório realizado no município goiano.

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), lamentou a morte de Washington Novaes em suas redes sociais. No Twitter ele escreveu: "perdemos uma referência no jornalismo ambiental". No Facebook, Caiado se solidarizou e prestou apoio a amigos e familiares.

Marconi Perillo, ex-governador de Goiás, também utilizou as redes para prestar uma homenagem. “Quando eu cursava Direito, tive o privilégio de levá-lo à PUC-GO para palestra sobre Direitos Humanos e Povos Indígenas. Admiro Washington desde o filme Kuarup, que ele produziu com muito talento e mostrou seu amor pela causa indígena”. destacou.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação