Pandemia

Com mais mortes, Pirenópolis monitora covid-19 para seguir aberta a turistas

Secretaria de Saúde diz que aumento não tem relação com volta dos visitantes. Acesso público ao rio das Almas foi fechado para evitar aglomeração e fiscalização foi reforçada

Jaqueline Fonseca
postado em 28/08/2020 12:31 / atualizado em 29/08/2020 11:08
A cidade ficou quase cinco meses fechada ao turismo como medida de contenção do novo coronavírus -  (foto: Marcos Vinicius Ribeiro)
A cidade ficou quase cinco meses fechada ao turismo como medida de contenção do novo coronavírus - (foto: Marcos Vinicius Ribeiro)

A cidade de Pirenópolis, a 150 Km de Brasília, viu o seu registro de mortes dobrar, de três para seis vítimas, em um curto espaço de tempo. A infeliz marca foi registrada com pacientes já em tratamento e acendeu luz amarela no município, cujo turismo foi reaberto no dia 14 de agosto. O avanço da doença segue sob observação e, em caso de necessidade, o município pode ser fechado novamente.

A secretária de Saúde de Pirenópolis, Luciana Rodrigues, informou que o aumento dos casos não está relacionado à abertura da cidade para o turismo, pois os óbitos registrados nos últimos dias são de pessoas que já estavam internadas. Ela disse ainda que o município monitora o número de casos e de leitos ocupados para tomar medidas, caso seja necessário. “Nós temos alguns parâmetros para o fechamento gradativo ou total da cidade.”

Pirenópolis tem como principal vocação o ecoturismo e o patrimônio em estilo colonial. A cidade ficou fechada por quase cinco meses como medida de contenção do novo coronavírus mas, agora, todos são bem-vindos, desde que cumpram as medidas sanitárias, conforme alerta a secretária de Saúde Luciana Rodrigues. “Nossa economia gira em torno do turismo. E que os turistas venham para aproveitar sem extrapolar os limites de segurança e que venha com reserva para que possamos atender bem”, frisou.

A prefeitura reforçou a fiscalização na cidade e fechou o acesso público ao rio das Almas no centro da cidade para evitar aglomerações. A secretaria alerta que os turistas devem ir até a cidade com reservas feitas nos atrativos turísticos ou parques para garantir o bom atendimento já que todos os estabelecimentos estão funcionando com capacidade reduzida

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação