Contas públicas

Codeplan abre prazo de adesão ao plano de demissão voluntária

Interessados têm até 30 de novembro para fazer solicitação. Objetivo do plano é economia das contas públicas

Correio Braziliense
postado em 01/09/2020 10:05
O plano visa, principalmente, salários altos  -  (foto: Lula Lopes/Esp. CB/D.A Press)
O plano visa, principalmente, salários altos - (foto: Lula Lopes/Esp. CB/D.A Press)

Começa, nesta terça-feira (1º/9), o prazo para apresentação de requerimento de adesão ao plano de demissão voluntária (PDV) de servidores da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), que será de 90 dias. O plano terá vigência de um ano, até 31 de agosto de 2021, podendo ser prorrogado a critério da Diretoria. Os interessados têm até 30 de novembro.

Segundo a própria Codeplan, um dos objetivos é a economia das contas públicas. O público alvo são empregados com, no mínimo, 50 anos de idade, e 18 anos de efetivo exercício na empresa. Também não podem ter sido condenados em pena que implique na perda de emprego do órgão, nem ter ação judicial contra a Codeplan.

Para se inscrever, o empregado deve preencher formulário e encaminhar à Gerência de Gestão e Desenvolvimento de Pessoas, que fará a análise prévia sobre admissibilidade. Em seguida, o diretor da área de cada funcionário irá decidir sobre a possibilidade de encaminhar o processo à presidência. Caberá ao presidente deferir ou não a solicitação.

A expectativa é processar 25 rescisões por mês, sendo que quem aderir ao PDV poderá escolher o mês de desligamento. A Codeplan pagará àqueles que optarem por aderir, um incentivo financeiro de 60% da remuneração mensal bruta, parcelado em 60 vezes.

Altos salários

Atualmente, a companhia tem 365 funcionários no quadro, dos quais 203 são inativos. Como as aposentadorias ocorreram antes da Reforma da Previdência e o regime vigente na Codeplan não prevê o afastamento compulsório após determinada idade, os servidores tornaram-se beneficiários do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) por tempo de trabalho ou idade e permaneceram na empresa.

Os salários de alguns funcionários, acrescidos de penduricalhos, atingem altas cifras, segundo dados do Portal da Transparência do Distrito Federal. Entre eles, há um teledigifonista que ganha, em média, R$ 12 mil líquidos, e uma revisora cujos vencimentos chegam a R$ 15,8 mil, com descontos. A servidora com salário mais alto da companhia atua na função de arquiteta e recebeu R$ 25 mil nos últimos meses.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação