Racismo

Justiça não localiza homem que fez ataques racistas a delegado do DF

TJDFT tentou falar com denunciado em três diferentes números de telefone para intimá-lo para audiência preliminar, sem sucesso

Correio Braziliense
Correio Braziliense
postado em 23/09/2020 00:28
 (crédito:              Bruno Peres/CB/D.A Press                       )
(crédito: Bruno Peres/CB/D.A Press )

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios não conseguiu localizar homem que fez ataques racistas ao delegado da 3ª Delegacia de Polícia (Cruzeiro) Ricardo Viana. O tribunal tentou contato telefônico para intimá-lo à audiência diversas vezes, em três diferentes números, sem sucesso. De acordo com documento, “a ligação não completa, aparecendo a mensagem de que os números não existem.”

O acusado, Pedro Henrique Martins Mendes, proferiu ofensas contra o delegado em agosto, quando ambos estavam em um estabelecimento de fast-food no Lago Sul. O suspeito chamou o investigador de "macaco", além de outros termos racistas. Ricardo estava acompanhado da filha, de 15 anos.

O delegado Ricardo Viana abriu um boletim de ocorrência contra o suspeito, na 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul). Na ocasião, Viana afirmou que estava "muito consternado com a situação” e não poderia se calar. Ele disse, ainda, que “vivemos um racismo estrutural, que está inserido em todas as classes sociais."

O denunciado, morador do Lago Sul, foi encaminhado à delegacia. No veículo do acusado foi encontrada uma porção de maconha. Com a ocorrência, ele responde por injúria racial, ameaça, vias de fato, injúria e porte de drogas

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação