Meio Ambiente

Auditores fiscais do Ibram ajudam no combate aos incêndios no Pantanal

Quatro representantes da instituição foram enviados para ajudar nas ações de resgate, tratamento e encaminhamento adequado da fauna silvestre do local.

Correio Braziliense
postado em 23/09/2020 23:43
 (crédito: Mayke Toscano/Secom-MT)
(crédito: Mayke Toscano/Secom-MT)

Auditores fiscais do Instituto Brasília Ambiental foram enviados, nesta quarta-feira (23/9) para ajudar no combate aos incêndios florestais que afetam o Pantanal, especialmente na região de Poconé (MT). Os quatro representantes da instituição foram encaminhados a pedido do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama), para ajudar nas ações de resgate, tratamento e encaminhamento adequado da fauna silvestre do local.

Além disso, o Ibram também enviou suprimentos veterinários e de primeiros socorros, arrecadados voluntariamente pelos auditores do instituto. O período previsto para operação é de 14 dias e poderá ser prorrogado de acordo com a situação do local.

De acordo com o superintendente substituto de Fiscalização, Auditoria e Monitoramento do instituto (Sufam), Victor Assis Carvalho Santos, o reforço no combate ao incêndio é fundamental. “Nossos companheiros de trabalho serão engrenagens importantes, em uma soma de esforços solidários dos diversos agentes da sociedade, para ajudar a salvar a fauna do Pantanal”, destacou o servidor da Sufam.

Pantanal

O governo federal decretou, em 14 de setembro, situação de emergência em Mato Grosso por causa dos incêndios florestais. O decreto vale por 90 dias, podendo ser prorrogado. A medida permite que o estado adote ações de reforço na prevenção e combate aos focos, assim como a manutenção de serviços públicos nas áreas atingidas.

Até a semana passada, o fogo tinha destruído 92 mil hectares do Parque Estadual Encontro das Águas, localizado na região de Porto Jofre, na cidade de Poconé, no Pantanal de Mato Grosso. O número representa 85% da área total do local, que tem 108 mil hectares.

Com informações da Agência Brasília

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação