Artesanato local

Artesãos do DF ganham loja exclusiva em shopping de Taguatinga

O espaço é resultado de políticas públicas para estruturar o artesanato local, fonte de renda para muitas famílias e parte importante da indústria do turismo

Correio Braziliense
postado em 24/09/2020 10:56
Espaço será utilizado como ponto de venda para 30 profissionais do segmento -  (crédito: Divulgação/Setur)
Espaço será utilizado como ponto de venda para 30 profissionais do segmento - (crédito: Divulgação/Setur)

Artesãos de brasília ganharam um ponto fixo para comercializar seus produtos. A loja do Artesanato de Brasília, no Alameda Shopping, em Taguatinga, já está aberta ao público e será utilizada como ponto de venda para 30 profissionais do segmento. A ação é da Secretaria de Turismo do Distrito Federal (Setur-DF)

O espaço é resultado de uma concessão que segue as diretrizes das políticas públicas do GDF para estruturar o artesanato local. A ação faz parte de um conjunto de medidas criadas para gerar renda e incentivar a produção artesanal da categoria com maior qualidade em um mercado competitivo.

Segundo a secretária de Turismo, Vanessa Mendonça, a indústria do turismo é força inesgotável de divisas para muitos países e cidades. “O segmento é polo de atração de capital e de pessoas. Gera renda, trabalho e emprego e gira a roda da economia, da mesma forma que o turismo move o artesanato em todo o mundo”, ressalta.

Ela lembra que, só no DF, existem cerca de 12 mil artesãos movimentando o comércio de bens e criando oportunidades de trabalho para muitas pessoas. Esse setor tem impacto positivo na geração de emprego e renda, assim como no investimento no setor de artesanato e na economia criativa. 

Em 2019, a venda de produtos associados ao turismo na capital federal gerou R$ 871.599,94. Este ano, mesmo diante da recessão provocada pela pandemia da Covid-19, o registro foi de R$ 239.133,36, no período de janeiro a agosto.

Ampliação da rede

Na Setur, a Coordenação de Promoção do Artesanato (Coart) atua de forma a ampliar a rede de comercialização, conhecida como rota do artesanato, com a meta de promover o desenvolvimento sustentável para os artesãos e a redução da desigualdade social.

Outra atribuição do órgão é a coordenação local do Programa do Artesanato Brasileiro (PAB), entidade vinculada ao Ministério da Economia, que orienta as representações estaduais a fomentarem o setor, principalmente por meio da concessão de espaços para a comercialização do artesanato local.

* Com informações da Setur

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação