Crime

"Tinha convicção que alguém ia atrás dele", diz mulher do pastor assassinado

Família havia mudado para Brasília buscando um recomeço. Religioso respondia em liberdade por um assassinato cometido no passado

Thais Umbelino
postado em 05/10/2020 16:18 / atualizado em 06/10/2020 16:07
Pastor respondia em liberdade por assassinato de um rapaz -  (crédito: Thais Umbelino/DA/CB Press)
Pastor respondia em liberdade por assassinato de um rapaz - (crédito: Thais Umbelino/DA/CB Press)

Luana Marques, 22 anos, mulher do pastor evangélico Francisco Antônio dos Santos Marques, que morreu enquanto ministrava um culto na QS 11, no Areal, em Arniqueira, contou que o marido respondia em liberdade por um assassinato cometido no passado.

A esposa contou que, em 2016, o casal se mudou para Brasília em busca de uma nova vida. "Ele matou um rapaz que estava envolvido com a ex-esposa dele para se defender", conta. Ela disse que, na época o rapaz teria o ameaçado.

Eles vieram para Brasília porque Francisco tinha familiares na cidade. "Aqui ele se converteu e fundamos juntos o ministério", relatou Luana. Mesmo assim, Francisco tinha certeza de que alguém do passado o procuraria. "O pai do rapaz que morreu nunca deixou de procurá-lo. Ele tinha convicção que alguém ia atrás dele", acrescentou Luana.

Francisco deixa a esposa e um filho de 2 anos.

Caso

A Polícia Civil investiga o assassinato da vítima, que teria se envolvido em um homicídio na cidade de Parnaíba (PI) e se mudado para Brasília com a esposa. O velório está marcado para a próxima terça-feira (6/10), às 9h, no Cemitério Campo da Esperança de Taguatinga.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação