Complexo Penitenciário

Foragidos da Papuda cavaram buraco no telhado durante quatro dias

Detentos usaram uma espécie de faca artesanal para cavar buraco no teto. Objeto seria de produção própria dos internos

Darcianne Diogo
postado em 14/10/2020 18:32 / atualizado em 14/10/2020 18:55
Fuga ocorreu na madrugada desta quarta-feira (14/10) -  (crédito: Wilson Dias)
Fuga ocorreu na madrugada desta quarta-feira (14/10) - (crédito: Wilson Dias)

Os 17 presos que escaparam do Centro de Detenção Provisória (CDP) do Complexo Penitenciário da Papuda cavaram um buraco no telhado durante quatro dias, segundo fontes policiais. A fuga ocorreu por volta da 1h da madrugada desta quarta-feira (14/10).

Informações indicam que os internos cavaram o buraco com uma espécie de faca artesanal, produzida por eles próprios. Câmeras de segurança da Papuda registraram o momento da ação dos custodiados. A filmagem mostra os detentos usando uma corda formada por pedaços de roupas para descer ao chão. O item improvisado é conhecido no sistema prisional como "tereza".

Na tarde desta quarta-feira (14/10), a Polícia Civil encontrou outros cinco dos fugitivos. Policiais penais que atuam na unidade, além de equipes da Diretoria Penitenciária de Operações Especiais (Dpoe), da Polícia Militar (PMDF) e da Polícia Civil (PCDF) trabalham para recapturar os seis internos restantes. São eles: Carlos Cauan da Silva Campos, Erison Vieira de Moraes, Gabriel Nathan da Rocha Bessio, Lucas Caldeira da Silva, Paulo Henrique de Santana Pereira Souza e Wanderson da Silva Santos.

Teto frágil

A polícia suspeita que a estrutura do teto da unidade prisional tenha facilitado a ação do grupo. A ala onde ocorreu a fuga fica em um dos complexos mais antigos do presídio. A fundação do CDP ocorreu em 1973. A estrutura do teto é formada por tijolo e cimento, mas, segundo fontes, é fraca.

Por meio de nota, o secretário de Administração Penitenciária, delegado Agnaldo Curado, afirmou que “todas as providências necessárias estão sendo tomadas, tanto para a recaptura dos foragidos, bem como para apuração das circunstâncias em que ocorreu a fuga”.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação