AME

Kyara: família recebe os R$ 6,6 milhões do Ministério da Saúde

Com o dinheiro, será possível comprar o remédio Zolgensma, avaliado em R$ 12 milhões, para auxiliar no tratamento da Atrofia Muscular Espinhal (AME) de Kyara

Cibele Moreira
postado em 21/10/2020 11:58 / atualizado em 21/10/2020 12:01
Kyara deverá tomar o remédio em novembro, em um hospital em Curitiba -  (crédito: Minervino Junior/CB/D.A Press)
Kyara deverá tomar o remédio em novembro, em um hospital em Curitiba - (crédito: Minervino Junior/CB/D.A Press)

A família de Kyara Lis tem mais um motivo para comemorar. Nesta quarta-feira (21/10) foram depositados os R$ 6.659.018,86 pelo Ministério da Saúde para a compra do Zolgensma, avaliado em R$ 12 milhões. O medicamento vai auxiliar no tratamento da Atrofia Muscular Espinhal (AME) de Kyara, bebê de 1 ano e dois meses.

No início do mês, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) determinou que o Ministério da Saúde completasse o valor que faltava após campanha de familiares arrecadar quase metade do valor do remédio, considerado o mais caro do mundo.

Para Kayra Rocha, mãe de Kyara Lis, o sentimento que fica é o de gratidão. “Agradecemos hoje a Deus pela vida da nossa filha, Kyara Lis, que nos faz vivenciar esta história de fé, amor, luta, coragem e gratidão. Mesmo diante de uma pandemia, onde várias pessoas morreram, a gente ganhou a vida da Kyara”, afirma. O medicamento irá impedir o avanço da doença e possibilitará uma qualidade de vida para Kyara.

A família já definiu o hospital que irá aplicar a medicação. De acordo com Kayra, a dose única do Zolgensma será aplicada no Hospital Pequeno Príncipe, em Curitiba. A previsão é para novembro. Na última segunda-feira (19/10), Kyara fez um exame para saber se ela está apta para receber o medicamento.

“Essa vitória é de todos que não mediram esforços para mudar a vida da Kyarinha, para sempre. Por meio das mensagens que recebemos, temos a certeza que esta alegria invade não só o nosso coração, mas de todos que lutaram e rezaram diariamente pela Kyara” pontua Kayra.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação