Crime

Falso juiz é preso em flagrante, no Gama, por crime de estelionato

Homem usava documentos e distintivo fraudulentos para enganar clientes e praticava crime de estelionato

Jéssica Moura
postado em 23/10/2020 10:00 / atualizado em 23/10/2020 11:40
A prisão foi efetuada por policiais da 14ª DP -  (crédito: PCDF/Divulgação)
A prisão foi efetuada por policiais da 14ª DP - (crédito: PCDF/Divulgação)

Um homem de 46 anos que fingia ser um juiz federal para aplicar golpes foi preso em flagrante pela Polícia Civil na tarde desta quinta-feira (22/10). No dia anterior, ele gravou um vídeo em frente à 14ª Delegacia de Polícia (Gama) para se defender de acusações de estelionato que circulavam na internet.

Com a divulgação da gravação nas redes sociais, a polícia o intimou para prestar depoimento. Na ocasião, ele apresentou a identidade falsa e se reafirmou como magistrado, além de estar vestido com uma camiseta que continha o brasão do exército, também não-autorizado.

Aos compradores, o suspeito alegava que viabilizaria a compra e o registro do porte legal dos armamentos, que nunca foram entregues. O homem dizia que tinha trânsito dentro do Exército e que, por intermédio do tribunal, facilitaria o trâmite burocrático. Uma das vítimas foi à delegacia denunciar o caso.

O suspeito pagou uma fiança de R$ 2 mil e foi liberado, mas foi indiciado pelo Ministério Público pelos crimes. Como emitia notas de venda que não correspondiam à mercadoria vendida, ele violou o artigo 172 do Código de Processo Penal. Além disso, também vai responder pela falsificação dos documentos e por usar as declarações fraudulentas para se beneficiar.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação