João de Deus é transferido para UTI de hospital em Brasília

Ele foi internado no sábado (24/10) com dores no peito e fadiga. Apesar da mudança, quadro do médium segue estável

Washington Luiz
postado em 25/10/2020 15:02
João de Deus tem três condenações somam 60 anos de prisão -  (crédito: Marcelo Ferreira/CB)
João de Deus tem três condenações somam 60 anos de prisão - (crédito: Marcelo Ferreira/CB)

O médium João Teixeira de Faria, 79, conhecido como João de Deus, foi transferido para a unidade de terapia intensiva (UTI) do Hospital Sírio Libanês, em Brasília. Ele foi internado na unidade na madrugada de sábado (24/10) com dores no peito e fadiga. No fim do dia, após realizar exames, a equipe médica decidiu encaminhá-lo para a UTI. Apesar da mudança, o quadro dele segue estável.

Antes de vir para Brasília, João de Deus, passou por um hospital na cidade de Anápolis, em Goiás. Anderson Van Gualberto, advogado do médium, informou que o mal súbito está relacionado a problemas cardíacos e problemas gástricos. Ainda segundo Gualberto, além disso, João está fazendo tratamento de remissão do câncer que resultou na retirada de 60% do estômago.

Condenações

João de Deus tem três condenações por estupro de vulnerável, violação sexual mediante fraude e posse ilegal de armas de fogo que somam 60 anos de prisão. Ele foi preso em dezembro de 2018 e nega ter cometido os crimes.

Em março deste ano, a justiça autorizou que ele deixasse a cadeia para cumprir prisão domiciliar. A decisão teve como objetivo evitar o contágio pelo coronavírus. Além de usar tornozeleira eletrônica, ele foi proibido de frequentar a Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia, e de manter contato com vítimas e testemunhas.

Segundo Gualberto, a defesa comunicou a justiça sobre a internação de João de Deus em Brasília e irá apresentar as guias de internação e de atendimento médico para comprovar a necessidade de deslocamento.

João de Deus foi acusado de abuso sexual e virou réu quando cerca de 688 mulheres relataram ter sofrido abusos durante atendimentos que ele realizava na cidade goiana.

Em operações ligadas a ele foram encontradas armas, pedras preciosas e mais de R$ 1,6 milhão. A esposa dele, Ana Keyla Teixeira, também chegou a ser indiciada por posse ilegal de armas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação