Serviço Público

Ibaneis lança plano de saúde para funcionários públicos do DF

O governador anunciou a novidade na manhã desta quarta-feira em evento no Palácio do Buriti. O benefício estará disponível para adesão a partir de 3 de novembro

Samara Schwingel
postado em 28/10/2020 11:47 / atualizado em 28/10/2020 12:00
Funcionários públicos podem escolher se querem ou não aderir ao plano de saúde anunciado pelo governador Ibaneis Rocha -  (crédito: Samara Schwingel/CB/DA Press)
Funcionários públicos podem escolher se querem ou não aderir ao plano de saúde anunciado pelo governador Ibaneis Rocha - (crédito: Samara Schwingel/CB/DA Press)

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), lançou, nesta, quarta-feira (28/10), o plano de saúde dos servidores públicos, o GDF-Saúde. O lançamento do benefício foi antecipado pelo Correio. A iniciativa faz parte das comemorações antecipadas pelo Dia do Servidor, celebrado nesta quarta-feira (28/10). O ponto facultativo foi adiado para sexta-feira (30/10).

“Esse plano de saúde nasce grande e vem atender a uma população que precisa”, disse Ibaneis. O chefe do Executivo local ainda afirmou que será necessário economizar, mas que a medida é necessária. “Vamos deixar o SUS para quem realmente precisa do SUS. Estou extremamente feliz com a concretização desse plano”, completou o governador.

“O servidor público precisa ser lembrado e valorizado”, considerou o secretario de Economia, André Clemente, que também estava presente no evento.

O plano de saúde abrangerá todo o DF e funcionará na modalidade de atendimento ambulatorial e hospitalar com obstetrícia. Sobre o novo modelo será cobrado uma taxa mensal de 4% sobre a remuneração bruta dos usuários e de 1% por cada dependente - filhos menores de até 21 anos, filhos universitários de até 24, filhos inválidos e cônjuges.

Ainda será cobrado coparticipação de 30% sobre os procedimentos ambulatoriais e 5% sobre hospitalares. Estes também deverão ser descontados em folha.

A adesão não será compulsória, ou seja, cabe ao servidor decidir se quer ou não o benefício. No caso de comissionados, o plano terá validade até três meses após a exoneração do cargo.

Poderão participar servidores ativos, aposentados, pensionista, ocupantes de cargos comissionados e contratados temporariamente. Os únicos servidores que não poderão ser beneficiados são os de pensão vinculados ao Departamento de Estradas e Rodagem (DER).

Credenciamento

O benefício estará disponível partir de 3 de novembro para funcionários da Secretaria de Saúde; 1º de dezembro para a Secretaria de Educação e 4 de janeiro de 2021 para demais órgãos e convênios. Os interessados poderão aderir por meio do site do Instituto de Assistência à Saúde do Servidor do DF (Inas-DF).

O credenciamento da rede prestadora pode ser feito no site do Inas-DF a partir desta quarta-feira. O processo será conduzido de por meio eletrônico até a assinatura do contrato de prestação de serviços.

Custeio

A contribuição mensal do GDF ao plano será de, no mínimo, 1,5% sobre o valor da folha de pagamento dos servidores do governo.

Além disso e das contribuições dos usuários, o convênio contará com doação, legados, subvenções, rendas resultantes de aplicações financeiras, juros e multas.

Outros benefícios

Além dos benefícios ligados à saúde, o plano conta com um clube de descontos em que empresas credenciadas terão descontos para servidores. Faculdades também oferecerão descontos em mensalidades para quem trabalha no governo.

“Estes lançamentos serão anunciados nos próximas semana”, explicou Ibaneis.

Os estudos para implementação do plano foram iniciados em 2019 e culminaram na assinatura, em julho deste ano, de um acordo de cooperação técnica entre o Inas, a Secretaria de Economia e o Banco Regional de Brasília (BRB) — que disponibilizará ambientes tecnológico para adesões, credenciamento e atendimento.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação