Transporte público

Rodoviários da Marechal fazem nova paralisação nesta terça-feira

O motivo da paralisação é o atraso no pagamento das horas extras dos trabalhadores

Correio Braziliense
postado em 10/11/2020 06:37
 (crédito: Bernardo Bittar/CB/D.A Press)
(crédito: Bernardo Bittar/CB/D.A Press)


Os rodoviários da Viação Marechal cruzaram os braços mais uma vez na manhã desta terça-feira (10/11). Esta é a quarta paralisação em menos de dois meses. Motoristas e cobradores protestam contra o atraso no pagamento das horas extras dos trabalhadores. Sem ônibus, ao menos sete cidades são impactadas: Samambaia, Recanto das Emas, Park Way, Águas Claras, Vicente Pires, Ceilândia e Taguatinga.

Em nota, a empresa disse que, por causa da pandemia do novo coronavírus, a receita da empresa passou a ser de apenas 40% do que era antes, tornando a operação "insustentável". "A queda na arrecadação criou uma situação muito difícil para o sistema de transporte público", informou. Ainda de acordo com a Marechal, a diretoria busca um empréstimo com o banco para quitar a dívida com os funcionários, mas o trâmite ainda não foi finalizado.

A última paralisação aconteceu no dia 21 de outubro, pelo mesmo motivo de atraso dos pagamentos. A Marechal tem 2.300 funcionários e 464 ônibus.

Leia a íntegra da nota

A operação da Viação Marechal foi paralisada no início da manhã, desta terça-feira (10), após a empresa não quitar as horas extras dos trabalhadores. Mesmo com todos os esforços a empresa não conseguiu os recursos necessários.


É importante lembrar que a crise causada pelo novo coronavirus reduziu em cerca de 60% o número de passageiros transportados, mas a empresa continuou operando com 100% da frota desde o início da pandemia, não reduziu salários ou suspendeu contratos, mantendo todos os postos de trabalho sem nenhuma demissão. Isso fez com que os custos permanecessem os mesmos, porém a receita da empresa passou a ser apenas 40% do que era antes da pandemia, levando à insustentabilidade da operação. A queda na arrecadação criou uma situação muito difícil para o sistema de transporte público.

Mesmo diante de toda dificuldade, a empresa tem se esforçado para não prejudicar seu maior patrimônio que é o corpo de funcionários. A Marechal está buscando um empréstimo, mas o banco ainda não finalizou o processo.

A Marechal segue com seu compromisso de prestar um serviço de qualidade a população do Distrito Federal e está buscando, de todas as formas, os recursos necessários para garantir a sustentabilidade de sua operação.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação