Regularização

GDF aprova estudo urbanístico de ocupação de Sol Nascente e Pôr do Sol

Região foi desmembrada de Ceilândia no ano passado, mas ainda carece de infraestrutura

Jéssica Moura
postado em 10/11/2020 12:17 / atualizado em 10/11/2020 12:21
 (crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)
(crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)

Depois de passar por consulta pública, o Estudo Territorial Urbanístico (ETU) da região de Sol Nascente e Pôr do Sol foi aprovado pela Secretaria de Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação. Este é mais um passo para a definição do projeto urbanístico da cidade. A medida foi publicada, nesta terça-feira (10/11), no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF).

Além de definir a localização poligonal da Região Administrativa, o estudo define das diretrizes para a construção de vias públicas, loteamento e ocupação. Esses dados servirão de base para a elaboração do Plano de Uso e ocupação do Solo, que precisa ser aprovado pelo Conselho de Planejamento Territorial e Urbano do Distrito Federal (Conplan).

Pelo estudo, está prevista a construção de uma estrada parque na região e também de uma via de atividades, que vai ligar a BR 070 a Elmo Serejo. Também deverão ser construídas calçadas para viabilizar a circulação dos pedestres. Outra medida de mobilidade é a previsão da instalação de uma malha cicloviária.

A região de 1.331 hectares (ha) tem população estimada em 91.066 habitantes. Pelo estudo, a capacidade máxima do lugar deve ser de 199.650. O estudo ainda propõe a regularização do Sol Nascente e Pôr do Sol em quatro zonas, diferenciadas pelo uso. A altura máxima dos muros das casas voltadas para as avenidas será de 2,5 metros.

O projeto de regularização pretende "promover a qualificação e padronização da ocupação do solo e estruturar e articular a malha urbana". O Sol Nascente e Pôr do Sol foram desmembrados de Ceilândia no ano passado para se tornar a 32ª Região Administrativa do DF, mas a nova cidade ainda carece que infraestrutura e equipamentos públicos.




Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação