Imunização

Campanhas de vacinação contra poliomielite e de multivacinação são prorrogadas

Apenas 56,8% do público alvo da imunização contra a poliomielite foi alcançado. Além disso, a campanha de multivacinação atingiu somente 68,6% de crianças e adolescentes até 15 anos

Correio Braziliense
postado em 27/11/2020 19:47 / atualizado em 27/11/2020 20:16
Novo prazo termina em 11 de dezembro -  (crédito: Fernando Frazão/Agência Brasil)
Novo prazo termina em 11 de dezembro - (crédito: Fernando Frazão/Agência Brasil)

Devido à baixa adesão à imunização, as campanhas de vacinação contra poliomielite e multivacinação foram prorrogadas até 11 de dezembro. Apenas 56,8% do público-alvo da campanha contra poliomielite receberam a vacina que tem como meta vacinar pelo menos 95% das crianças menores de 5 anos. A Multivacinação também não atingiu o número ideal, vacinado somente 68,6% do público-alvo. Em todo o Distrito federal há 135 salas de vacinação que estão abastecidas com as doses para atender a população.

O público estimado para imunização da poliomielite é de 160 mil crianças e bebês. Até o momento foram contabilizadas 91.790 que receberam a dose. A enfermidade, conhecida por paralisia infantil, é uma doença contagiosa aguda causada pelo poliovírus. Crianças e adultos podem se infectar por meio do contato direto com fezes ou com secreções eliminadas pela boca das pessoas doentes e provocar ou não paralisia.

As crianças menores de cinco anos são o alvo da campanha. Manter a caderneta de vacina em dia é de extrema importância devido às coberturas vacinais ainda serem heterogêneas. Assim, podem levar à formação de bolsões de pessoas não vacinadas, possibilitando a reintrodução do poliovírus.

A depender do esquema vacinal registrado na caderneta, a criança poderá receber a Vacina Oral Poliomielite (VOP), como dose de reforço ou dose extra, ou a Vacina Inativada Poliomielite (VIP), como dose de rotina.

Multivacinação

Durante a Campanha Nacional de Multivacinação, são ofertadas todas as vacinas do calendário básico de vacinação da criança e do adolescente. Com o foco em pessoas de até 15 anos de idade, a iniciativa visa diminuir o risco de transmissão de enfermidades imunopreveníveis, assim como reduzir as taxas de abandono do esquema vacinal. Já compareceram às salas de vacinação 207.014, dos quais 142.090 precisaram aplicar alguma vacina.

São 14 tipos de vacinas que protegem contra cerca de 20 doenças: BCG (tuberculose); rotavírus (diarreia); poliomelite oral e intramuscular (paralisia infantil); pentavalente (difteria, tétano, coqueluche, hepatite B, Haemophilus influenza tipo b – Hib); pneumocócica; meningocócica; DTP; tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola); HPV (previne o câncer de colo de útero e verrugas genitais); além das vacinas contra febre amarela, varicela e hepatite A.

Neste ano, também passou a integrar a lista de vacinas do Sistema Único de Saúde (SUS) a Meningo ACWY, que protege contra meningite e infecções generalizadas, causadas pela bactéria meningococo dos tipos A, C, W e Y.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE