Violência contra a mulher

Mulher é vítima de tentativa de feminicídio em Taguatinga

A vítima, de 31 anos, levou uma facada na cabeça e recebeu atendimento no Hospital Regional de Taguatinga (HRT). O autor está preso e responderá pelo crime de tentativa de feminicídio

Darcianne Diogo
postado em 29/11/2020 13:04
 (crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)
(crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)

Uma mulher de 31 anos sofreu uma tentativa de feminicídio na noite deste sábado (29/11), em Taguatinga. Segundo informações preliminares, o namorado dela, de 26 anos, a esfaqueou na cabeça e acabou preso em flagrante por policiais civis. 

O crime é apurado pelos investigadores da 12ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Centro). De acordo com o boletim de ocorrência, os agentes faziam uma ronda da Operação Natal Seguro quando ouviram os gritos de socorro da mãe da vítima: "Pega, pega, ele bateu na minha filha".

A vítima estava caída na calçada e sangrava bastante. O autor do crime foi preso ainda dentro da residência, quando se preparava para fugir. O Correio apurou que a mulher recebeu os primeiros socorros da equipe do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBM-DF) e foi transportada consciente e orientada ao Hospital Regional de Taguatinga (HRT). Ela não corre risco de morte.

O acusado pelo crime vai responder tentativa de feminicídio. Ainda na noite de sábado (28/11), o autor foi levado para a Divisão de Controle e Custódia de Presos (DCCP), na carceragem da Polícia Civil, onde aguardará pela audiência de custódia.

Violência contra a mulher

O Distrito Federal foi a capital que mais registrou casos de violência doméstica em 2019. De acordo com os dados do 14º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgado nesta segunda-feira (19/10), a capital federal teve 16.549 casos no ano passado — 7,1% a mais que em 2018.

De acordo com o art. 5º da Lei Maria da Penha, violência doméstica e familiar contra a mulher é “qualquer ação ou omissão baseada no gênero que lhe cause morte, lesão, sofrimento físico, sexual ou psicológico e dano moral ou patrimonial”.

Neste cenário, ainda segundo o estudo, o DF fica à frente de cidades como São Paulo, que registrou 11.403 casos de violência doméstica em 2019; Rio de Janeiro, com 8.966; e Belo Horizonte, com 7.744.


Onde pedir ajuda?

Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência — Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República

Telefone: 180 (disque-denúncia)

Centro de Atendimento à Mulher (Ceam)
» De segunda a sexta-feira, das 8h às 18h
» Locais: 102 Sul (Estação do Metrô), Ceilândia, Planaltina

Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam)
» Entrequadra 204/205 Sul - Asa Sul
(61) 3207-6172

Disque 100 — Ministério dos Direitos Humanos
Telefone: 100

Programa de Prevenção à Violência Doméstica (Provid) da Polícia Militar**
Telefones: (61) 3910-1349 / (61) 3910-1350

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE