Feminicídio

Mulher é morta a facadas pelo companheiro no Sol Nascente

O crime ocorreu na madrugada desta sexta-feira (11/12). É a terceira mulher morta em menos de 24 horas no Distrito Federal

Thalyta Guerra*
postado em 11/12/2020 12:18 / atualizado em 14/12/2020 17:27
 (crédito: Material cedido ao Correio)
(crédito: Material cedido ao Correio)

Um homem foi preso após esfaquear a própria companheira no Sol Nascente, em Ceilândia, na madrugada desta sexta-feira (11/12). Maria Jaqueline de Souza, 34 anos, levou vários golpes e morreu no local. O caso está sendo investigado como feminicídio pela Delegacia de Atendimento à Mulher (DEAM). De acordo com a Polícia Militar, Ricardo Silva Souza esfaqueava a mulher dentro de casa quando a equipe invadiu a residência. Os policiais flagraram Ricardo em cima da vítima, que estava deitada de bruços no chão. Em seguida, o homem tentou agredir os militares, que usaram uma arma de choque para tentar contê-lo.

No entanto, ele resistiu ao choque elétrico e os militares precisaram atirar contra o autor, que continuou agredindo a vítima. A pistola elétrica foi utilizada mais uma vez, porém, sem sucesso. Os policiais conseguiram desarmar o agressor apenas quando ele começou a esmorecer e foi golpeado com uma barra de ferro no braço da mão em que empunhava a faca. Durante o crime, chamou a atenção os policiais contaram que acusado proferir em alta voz "palavras relacionadas à religião, como se estive em surto psicótico".

O Corpo de Bombeiros tentou prestar os primeiros socorros à vítima, mas ela não resistiu aos ferimentos e morreu no local. O agressor foi encaminhado ao Hospital Regional de Ceilândia (HRC) para passar por atendimento médico. De acordo com a Polícia Civil, a faca utilizada no crime, apresentada pela Polícia Militar na especializada, foi apreendida e encaminhada para perícia. A arma da corporação utilizada para disparar contra o agressor também foi apreendida para perícia, tendo em vista que o autor foi alvejado pela Polícia Militar, em defesa da vítima. O autor está sob custódia da Polícia Civil do Distrito Federal.

Testemunha

O vizinho que denunciou o crime informou que o homem morava no local havia mais de um ano e que havia se separado recentemente. Esta seria a primeira vez que o acusado levava a namorada para a casa.

Ele conta que os dois chegaram por volta das 23h. Por volta de 1h, escutou a mulher pedindo socorro e decidiu ajudar. Após bater à porta e ninguém abrir, ele conseguiu abrir a janela e presenciou o homem ao lado da cama todo ensanguentando, desferindo inúmeros de golpes de faca seguidos na vítima.

Três vítimas em menos de 24h

Esta é a terceira vítima de feminicídio em menos de 24h no Distrito Federal. Na manhã desta quinta-feira (10/12), um homem foi preso acusado de matar a sogra e a ex-companheira. Mãe e filha foram encontradas mortas na própria casa pela Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), por volta das 6h, no setor Arapoanga, em Planaltina. O crime é investigado pela 31ª Delegacia de Policia (Planaltina) como duplo feminicídio. 

Nos primeiros seis meses de 2020, o índice de flagrantes relacionados à Lei Maria da Penha registrados pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) aumentou 13%. Durante o período, foram 1.885 registros, contra 1.668 casos no ano passado. Em relação à violência doméstica, foram 9.910, em 2019, e 9.702, em 2020.

Canais de denúncia

Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência — Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República
Telefone: 180 (disque-denúncia)

Centro de Atendimento à Mulher (Ceam)
» De segunda a sexta-feira, das 8h às 18h
» Locais: 102 Sul (Estação do Metrô), Ceilândia, Planaltina

Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam)
» Entrequadra 204/205 Sul - Asa Sul
(61) 3207-6172

Disque 100 — Ministério dos Direitos Humanos
Telefone: 100

*Estagiária sob supervisão de Roberto Fonseca

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE