Violência

Vídeo mostra suspeito de assassinar mulher trans no Sudoeste

Juliana da Cruz Costa, 32 anos, levou uma facada no peito, após se negar a dividir o lanche com um sem-teto. O crime é apurado como homicídio

Darcianne Diogo
postado em 11/12/2020 16:30
 (crédito: Material cedido ao Correio)
(crédito: Material cedido ao Correio)

Vídeo obtido pelo Correio mostra o momento em que o suspeito de assassinar a transexual Juliana da Cruz Costa, 32 anos, entra dentro de um bloco, na comercial 101 do Sudoeste, momentos antes de matar a mulher, na noite desta quinta-feira (10/12). Investigações revelaram que a vítima se negou a dividir o lanche com o sem-teto, o que teria motivado o homicídio (veja o vídeo abaixo).

As filmagens, registradas às 21h53 de quinta-feira, registram a hora em que o autor chega ao local de bicicleta, entra no bloco e fala com a vítima em seguida. Pouco menos de um minuto, as câmeras de segurança exibem o homem, de identidade ainda não revelada, saindo do prédio. Após isso, segundo a apuração policial, ele desfere um golpe de faca contra o peito de Juliana, no estacionamento, em frente a um bar do Sudoeste.

Juliana da Cruz Costa, de 33 anos, é assassinada no Sudoeste
Juliana da Cruz Costa, de 33 anos, é assassinada no Sudoeste (foto: Arquivo pessoal)

Segundo o delegado à frente das investigações, Douglas Fernandes, a vítima também era moradora de rua e trabalhava na região como vigia de carros. “O autor chegou ao local e se apresentou como ‘Jubileu’. Ele e o companheiro da vítima tiveram uma discussão, após a mulher ter negado dividir o alimento. Com raiva, ele fingiu ter ido embora, mas depois retornou e atingiu a vítima”, detalhou.

Em depoimento, o companheiro da vítima deu detalhes do suspeito. Aos policiais, ele disse que o autor era negro e tinha cerca de 1,8 metro e usava máscara de proteção facial. Nas filmagens, o homem usa uma blusa marrom e uma bermuda preta e boné. A polícia pede para que, caso alguém tenha informações sobre o paradeiro do autor, ligue no número 197 da Polícia Civil.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE