Violência

Violência contra a mulher: DF tem três vítimas de feminicídio em três dias

Maria Jaqueline, 34; Giane Cristina, 36; e Maria Madalena, 60; foram assassinadas entre quarta-feira e ontem, no DF

Darcianne Diogo
postado em 12/12/2020 07:00 / atualizado em 14/12/2020 17:27
 (crédito: Arquivo Pessoal)
(crédito: Arquivo Pessoal)

Em três dias, três mulheres foram brutalmente assassinadas no Distrito Federal. Na madrugada de ontem, Maria Jaqueline de Souza, 34 anos, levou diversos golpes de faca desferidos pelo namorado, Ricardo Silva Souza, 34, na residência dele, na Chácara 151, no Setor Habitacional Sol Nascente. O homem foi detido por policiais militares e encaminhado à Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) de Ceilândia. Na quinta-feira, mãe e filha foram encontradas mortas dentro de casa, em Planaltina. O acusado é Josimar Benedito Paiva, preso em flagrante pelo duplo feminicídio, cometido entre quarta e quinta-feira.

Segundo uma testemunha, Maria Jaqueline chegou à casa de Ricardo por volta das 23h, de quinta-feira. Seria a primeira vez em que a vítima visitava a residência do namorado. Por volta de 1h da madrugada de ontem, vizinhos escutaram pedidos de socorro vindos do local. De acordo com a investigação, um dos moradores resolveu ajudar e bateu à porta, mas ninguém abriu. Ele, então, decidiu pular a janela. Depois de entrar no imóvel, o rapaz presenciou o autor esfaqueando Maria. O vizinho acionou a Polícia Militar. “Enquanto a atingia, o autor gritava por palavras de cunho religioso. A princípio, tinha raiva na conduta e estava em uma situação agressiva”, detalhou a delegada à frente das investigações, Adriana Romana.

A sangue frio

Mesmo com os policiais no local, Ricardo continuava a esfaquear a namorada. Para contê-lo, os militares utilizaram uma pistola elétrica, no entanto, o autor não parou com os ataques. “Os policiais tiveram que disparar dois tiros contra ele , atingindo o braço e o ombro esquerdo”, afirmou a delegada.

Os policiais imobilizaram e desarmaram o homem, após ele ser golpeado com uma barra de ferro no braço da mão em que estava empunhando a faca. Ricardo foi preso em flagrante e submetido a uma cirurgia no Hospital Regional de Ceilândia (HRC). Ele está sob a custódia da polícia. O Correio apurou que equipes do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal (CBM-DF) prestaram os primeiros socorros à vítima e realizaram procedimentos de reanimação, mas a mulher não resistiu aos ferimentos e morreu.

Terror

O filho de Giane Cristina Alexandre, 36, morta pelo ex-companheiro na noite de quarta-feira, foi entregue ao pai biológico. A criança, de 6 anos, viveu momentos de terror entre a noite de quarta-feira e a manhã de quinta-feira. O Correio apurou que o menino ainda não sabe que a mãe e a avó Maria Madalena Cordeiro Neto, 60, foram assassinadas. As duas foram encontradas sem vida dentro de casa, no Setor Arapoanga, em Planaltina.

Investigações da 31ª Delegacia de Polícia (Planaltina) revelaram que, na noite do crime, o ex-companheiro de Giane bateu no portão da ex-sogra pedindo para entrar na casa. Com a negativa, o homem, identificado como Josimar Benedito Paiva, entrou à força na residência, chegando a empurrar a aposentada no chão. O acusado, em seguida, pegou uma corda do varal e a amarrou.

De acordo com a polícia, Giane chegou com o filho em casa pouco tempo depois e foi surpreendida pelo homem, que tentou forjar um latrocínio. “Ele cobriu a cabeça com uma camiseta para que a ex-companheira pensasse que se tratava de um assalto. Então, ele também a amarra e tenta convencê-la de que o retorno do casal seria a melhor opção, e sai para buscar fotos dos dois, na tentativa de fazê-la se comover”, ressaltou o delegado Veluziano Castro, chefe da 31ª DP.

A criança teve os olhos vendados e foi obrigada a ficar dentro de um carro por mais de 11 horas. O autor havia entregue um celular ao menino e dado a ordem para que, quando o despertador tocasse às 5h, o garoto deveria pedir socorro aos vizinhos. Na delegacia, Josimar confessou o crime. Ele está preso.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE