Latrocínio

Irmã de suspeito de matar PM reformado é presa escondendo revólver

A arma de fogo estava escondido em um meião dentro do carro onde a mulher e o marido estavam. Aos policiais ela alegou que buscou o revólver na casa dos pais para não preducá-los

Correio Braziliense
postado em 25/12/2020 09:33 / atualizado em 25/12/2020 10:39
 (crédito: PMDF/Divulgação)
(crédito: PMDF/Divulgação)

A Polícia Militar prendeu uma mulher de 28 anos que tentava esconder um revólver calibre .32, na área rural Vendinha, em Padre Bernardo (GO), na noite de quinta-feira (24/12). A prisão ocorreu enquanto uma equipe procurava suspeitos de assassinar o sargento reformado da PMDF João Batista da Conceição Melo, morto em Brazlândia na quarta-feira (23/12), após ser rendido por dois assaltantes no Setor de Oficinas da cidade.

Algumas testemunhas avisaram aos policiais que um dos suspeitos do homicídio estava escondido na fazenda da mulher detida. Os militares fizeram buscas no local com o apoio das equipes de Patamo, do Batalhão de Policiamento com Cães (BPCães), do helicóptero da corporação e da Polícia Militar de Goiás. Mas o suspeito não foi localizado.

Durante a operação, os policiais viram um carro saindo da fazenda e o abordaram. O objetivo era ver se o suspeito tentava fugir no veículo. Mas havia apenas um casal no veículo. Tratava-se da irmã do suspeito e o marido dela.

Os policiais desconfiaram de um objeto dentro de um meião. A mulher alegou que se tratava de um vibrador. Mas um segundo par da peça chamou a atenção dos militares. Nele havia 24 cartuchos de munição. Ao verificarem o primeiro meião, foi encontrado um revólver.

À polícia, a mulher disse que a arma era do irmão dela, que estava foragido e escondido no mato. Quando soube das buscas policiais, decidiu tirar a arma da casa dos pais para não os prejudicar. A Polícia Civil investiga se arma é a mesma usada no crime. A confirmação será feita após perícia. 

Ela foi detida em flagrante e levada para a delegacia de Águas Lindas. O caso é investigado pela 18ª Delegacia de Polícia (Brazlândia).

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE