Vacinação vírus Influenza

DF atinge meta de vacinação contra Influenza

Considerando os grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde para calcular a cobertura vacinal, o DF conseguiu a marca de 99,6% do público imunizado

Correio Braziliense
postado em 05/01/2021 21:50
Vacina contra o vírus influenza é disponibilizada anualmente durante a campanha nacional -  (crédito: Geovana Albuquerque/Agência Saúde DF)
Vacina contra o vírus influenza é disponibilizada anualmente durante a campanha nacional - (crédito: Geovana Albuquerque/Agência Saúde DF)

A 22ª campanha de vacinação contra a Influenza no Distrito Federal chegou ao fim, e o resultado foi positivo. Considerando os grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde para calcular a cobertura vacinal, o DF conseguiu a marca de 99,6% do público imunizado, o que representa 661.020 doses aplicadas somente neste público. Ao incluir os demais, a soma chega a 950.177 doses.

A campanha, que começou em 23 de março, dividiu-se por fases às quais os grupos foram realocados, evitando-se, assim, aglomerações nas unidades básicas de saúde. A partir de 1º de julho a vacina foi estendida a toda a população e ficou disponível até 30 de dezembro. A vacina previne três tipos do vírus Influenza: A (H1N1), A (H3N2) e B.

Mesmo com a meta de 90% sendo atingida, alguns grupos não conseguiram esse marco, como explica a enfermeira da área técnica de imunização da SES, Fernanda Ledes. “O alcance da meta de vacinação no DF deve-se ao fato de os grupos de trabalhadores de saúde e idosos terem ultrapassado 100% de cobertura vacinal. No entanto, a meta não foi atingida de forma homogênea. Crianças, gestantes, puérperas e adultos de 55 a 59 anos permaneceram com coberturas vacinais abaixo da meta”.

Os demais grupos prioritários não entram na contabilização do Ministério da Saúde no âmbito de cobertura vacinal dos estados, mas o DF mantém o acompanhamento e registro das informações. Fazem parte deste público: pessoas privadas de liberdade e funcionários do Sistema Prisional; professores; pessoas com comorbidades; pessoas com deficiência; profissionais das forças de segurança e salvamento; caminhoneiros; e motoristas e cobradores.

“Para a operacionalização dessa campanha, em meio à pandemia pelo novo coronavírus, foi necessária uma união de esforços entre diversos setores da Secretaria de Saúde, incluindo, principalmente, a área técnica de imunização e dos profissionais das unidades de saúde. Como se trata de uma vacina anual, esperamos que, neste ano, a adesão ocorra de forma homogênea e seja possível alcançar a meta em todos os grupos prioritários. O vírus da influenza ainda é causador de diversas internações e óbitos em todo o país”, destaca Fernanda Ledes.

Destaques

Dividindo os dados por Região de Saúde, duas destacaram-se positivamente. A região que obteve o maior percentual total foi a Sudoeste (155,2%), que conta com as cidades de Águas Claras, Recanto das Emas, Samambaia, Taguatinga e Vicente Pires. A segunda região com o maior percentual foi a Central (129,2%) — que abrange Asa Sul, Vila Telebrasília, Asa Norte, Vila Planalto, Lago Norte, Lago Sul, Varjão, Cruzeiro, Noroeste, Sudoeste/Octogonal — e se destacou por ser a única região que atingiu a meta para crianças de 5 anos (91,6%) e para adultos de 55 a 59 anos (98,6).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE