Manifestação

Trabalhadores protestam nesta quarta após morte de motorista de app no DF

Os motoristas se concentrarão no estacionamento do Bezerrão, no Gama, e farão carreata até o Cemitério da cidade, onde Geraldo Iris Gontijo, 51 anos, será sepultado

Darcianne Diogo
postado em 12/01/2021 21:06
Geraldo foi morto depois de atender a uma chamada pelo aplicativo, em Santa Maria -  (crédito: Redes sociais)
Geraldo foi morto depois de atender a uma chamada pelo aplicativo, em Santa Maria - (crédito: Redes sociais)

Em ato de protesto, motoristas que trabalham para empresas de transporte por aplicativo se concentrarão, no começo da tarde desta quarta-feira (13/1), no estacionamento do Bezerrão, no Gama. Eles pedem Justiça pela morte de Geraldo Iris Gontijo, 51 anos, assassinado a tiros na madrugada desta terça-feira (12/1), enquanto atendia uma corrida por aplicativo, no Condomínio Porto Rico, em Santa Maria. 

Os trabalhadores se reunião às 13h. Do estacionamento, os motoristas farão carreata até o Cemitério do Gama, onde Geraldo será sepultado. O ato terá duração de até 30 minutos. Em comunicado enviado aos grupos de WhatsApp, os organizadores pedem que os frequentadores escrevam luto nos carros, levem TNT preto e peçam paz. 

A morte de Geraldo comoveu os trabalhadores da categoria. O motorista prestava serviços para a 99 Pop havia cerca de dois anos, e costumava trabalhar à noite e madrugada, segundo informaram os familiares. Na madrugada desta terça-feira, a vítima atendeu uma chamada pelo aplicativo. De acordo com os parentes, os criminosos, ao entrarem no carro, anunciaram o assalto, o mataram com um tiro na nuca, colocaram o corpo no porta-malas e seguiram até o Valparaíso 2. 

Socorro

Como consta na ocorrência, com Geraldo no carro, os criminosos dirigiram até Valparaíso 2 à procura de um rival, identificado como Dyego de França, 31. Após localizarem o rapaz, os suspeitos o colocaram à força no carro e o levaram até a Quadra 37, Anhanguera B. Lá, o balearam diversas vezes e fugiram em seguida. A polícia colhe informações para descobrir se Geraldo foi assassinado ainda no DF ou no município goiano, o que definirá se o caso ficará a cargo da 33ª Delegacia de Polícia (Santa Maria) ou da Delegacia de Valparaíso. 

Horas depois, três pessoas passaram pelo local e avistaram o carro abandonado. Ao aproximarem-se do veículo, o trio constatou que havia um homem sangrando no banco interior do automóvel. Sem ainda saber que o corpo de Geraldo estava no porta-malas, as testemunhas levaram o rapaz, com o carro do motorista de app, até o Centro de Atendimento Integrado à Saúde (Cais) do Valparaíso. Segundo relataram à polícia, não havia cirurgiões disponíveis e, por isso, seguiram até o Hospital Regional de Santa Maria (HRSM). O estado de saúde do rapaz não foi divulgado.

Somente no HRSM, os socorristas do hospital perceberam que havia outro corpo dentro do porta-malas do carro de Geraldo, mas inconsciente e sem sinais vitais. Policiais militares, então, conduziram as testemunhas e o veículo até Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops) de Valparaíso. Lá, foram orientados que o caso era atribuição do DF e seguiram até a 20ª DP (Gama). Contudo, o caso foi transferido à 33ª DP, onde está sendo investigado como homicídio em apuração e localização ou remoção de cadáver. A tipificação pode mudar no decorrer das diligências policiais.

Posicionamento

Procurada pelo Correio, a 99 Pop lamentou a morte de Geraldo e diz apurar o caso para saber se o crime ocorreu durante corrida pelo aplicativo. “Nos solidarizamos com a dor dos familiares e estamos buscando contato com eles para oferecer o suporte necessário. A plataforma se coloca à disposição da polícia para compartilhar informações que possam ajudar a esclarecer os fatos e a punir os responsáveis”, garantiu.

Questionada pela reportagem sobre as medidas adotadas para combater crimes desse tipo, a empresa afirmou que investe “continuamente em segurança antes, durante e depois das corridas”. Esclareceu, ainda, que, como formas de prevenção antes das chamadas, “a companhia mostra aos motoristas informações sobre o destino final, a nota do passageiro e se ele é frequente, além de exigir que todos os passageiros incluam CPF ou cartão de crédito”.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE