PANDEMIA

Covid-19: Distritais pedem que GDF monitore casos de variante britânica

Comissão Especial para acompanhar o Plano de Vacinação encaminhou o ofício nesta quarta-feira (17/2). Secretaria de Saúde tem cinco dias para se manifestar

Cibele Moreira
postado em 18/02/2021 11:30
Fiocruz já lista a circulação da cepa britânica no DF -  (crédito: Acácio Pinheiro/Agência Brasília)
Fiocruz já lista a circulação da cepa britânica no DF - (crédito: Acácio Pinheiro/Agência Brasília)

Com a confirmação de casos da variante britânica da covid-19 em regiões do Entorno do Distrito Federal, e com a possibilidade real de haver notificações na capital, a Comissão Especial para acompanhar o Plano de Vacinação da Câmara Legislativa do DF (CLDF) cobra à Secretaria de Saúde um mapeamento da nova cepa do vírus Sars-CoV-2 na capital e no Entorno. 

O presidente da comissão, deputado Fábio Félix, enviou um ofício para a pasta solicitando informações sobre o monitoramento da variante. De acordo com o distrital, esse acompanhamento é importante para traçar estratégias de controle da pandemia. "Temos informações preliminares de que a variante britânica é mais contagiosa e, em algumas situações, mais perigosa que o vírus inicial da covid-19. Por isso, a supervisão é necessária para que o governo possa atuar e isolar os casos para evitar uma maior propagação", afirmou Fábio Félix. 

Outro ponto destacado pelo deputado é a preocupação com a qualidade da imunização na capital, se as vacinas têm ou não cobertura em relação a essas modificação do novo coronavírus. "Acreditamos que a Secretaria de Saúde deve ter um controle distrital das variantes da covid-19, e não só depender do monitoramento federal. Podemos ter casos da variante do Reino Unido e também da brasileira, pois recebemos pacientes de Manaus aqui", relata. 

O prazo para o retorno com as informações solicitadas pela Comissão Especial para acompanhar o Plano de Vacinação da CLDF é de cinco dias úteis.

Na última terça-feira (17/2), o Correio noticiou em primeira mão a existência da cepa britânica na capital. A informação está no site da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Demonstrativo de Linhagens e Genomas Sars-CoV-2, que lista as linhagens das amostras de genomas do vírus enviadas à fundação pelas unidades da federação. No documento, entre os tipos da covid-19 em circulação no Distrito Federal está a B.117 — variante do Reino Unido. 

No entanto, a Secretaria de Saúde do DF informou, em nota, que não há confirmação, até o momento, de casos de infecção por variante do novo coronavírus no Distrito Federal. "A Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Divep) e o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen-DF) monitoram todos os casos de covid-19 registrados no DF e encaminham os sequenciamentos genéticos para os laboratórios de referência: Adolfo Lutz, Evandro Chagas e Fiocruz. O DF segue em alerta e acompanhando os retornos dos laboratórios. O envio de amostras ocorre semanalmente e dentro da rotina de trabalho do Lacen-DF", explicou a pasta. 

Ainda segundo a secretaria, a Divep faz o monitoramento dos casos que estiveram em locais com a circulação das novas variantes e realiza a busca ativa entre os contatos, "como forma de diminuir a transmissão e identificar precocemente novas variantes no DF".


 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE