agricultura

Emater-DF articula ajuda a produtores rurais afetados pela chuva

Com tempo chuvoso, provocou o transbordamento do córrego Riacho Fundo, que prejudicou moradores da região. Ações mais urgente neste momento será articulada junto à Secretaria de Agricultura

Correio Braziliense
postado em 25/02/2021 11:09
A agricultora Antônia Esaki mostrou à extensionista da Emater-DF os danos causados à plantação -  (crédito: Divulgação/Emater-DF)
A agricultora Antônia Esaki mostrou à extensionista da Emater-DF os danos causados à plantação - (crédito: Divulgação/Emater-DF)

Após intensas chuvas que fizeram o córrego Riacho Fundo transbordar no último final de semana, a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal (Emater-DF) começou a visitar propriedades rurais para ajudar a articular soluções em conjunto com as instituições parceiras.

Segundo a Emater-DF, a propriedade de Antônia Esaki, no CA Bandeirante 2, foi uma das mais atingidas, porque fica localizada em uma região mais baixa. O sistema de irrigação foi afetado e perdeu mudas e plantios. Além dela, outras propriedades da região sofreram com erosões, que afetaram áreas de preservação permanente.

Segundo a gerente do escritório local da Emater-DF na Vargem Bonita, Cláudia Coelho, a ação mais urgente neste momento será articulada junto à Secretaria de Agricultura. Ela diz que deve formular um pedido de apoio no uso do maquinário, como retroescavadeiras, para abrir valas para drenar a água.

Outra medida adotada será um pedido para implementar o Projeto Reflorestar que, por meio da legislação ambiental, ajuda na conservação do solo, escoamento da água, prevenção de erosões e recuperação da área de preservação permanente.

O secretário-executivo da Secretaria de Agricultura, Luciano Mendes, afirma que, a exemplo de outras ocasiões, a pasta avaliará a situação para nortear eventuais ações. “Vamos verificar os danos e ver de que forma podemos ajudar a mitigar o sofrimento dos produtores da região”, alega.

AVila Cauhy no Núcleo Bandeirante, onde parte dos moradores ocupa áreas não regularizadas, também foi fortemente atingida pelas fortes chuvas,. A propriedade da agricultora Antônia Esaki é a única da região com registro, segundo a Emater-DF. A produção agrícola da região está baseada no plantio de verduras e frutas.

Chuvas

O transbordamento do córrego do Riacho Fundo foi provocado pelo excesso de chuvas deste mês. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), fevereiro é o mês mais chuvoso, desde que o órgão começou a medir o índice pluviométrico no DF, em 1962.

De 1º de fevereiro até segunda-feira (22/2), foram registrados 473,4 milímetros de chuva. Mesmo faltando três dias para o fim do mês, a marca supera o recorde anterior, de 460,4 milímetros registrado em fevereiro de 1980.

Segundo a Emater-DF, mesmo com a limpeza do córrego feita com regularidade, o volume de chuva tem causado transbordamento e transtornos para moradores de diversas áreas do Distrito Federal.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE