Privatização

Contrato de venda da CEB é assinado; dinheiro vai para a infraestrutura do DF

Durante a cerimônia de assinatura, na manhã desta terça-feira, o governador Ibaneis Rocha (MDB) afirmou que o dinheiro da venda será designado à melhoria da infraestrutura da capital federal

Samara Schwingel
postado em 02/03/2021 11:51 / atualizado em 02/03/2021 13:06
A CEB foi vendida para a  Bahia Geração de Energia, do grupo Neoenergia -  (crédito: ED ALVES/CB/D.A Press)
A CEB foi vendida para a Bahia Geração de Energia, do grupo Neoenergia - (crédito: ED ALVES/CB/D.A Press)

Na manhã desta terça-feira (2/3), o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), assinou o contrato de venda da Companhia Energética de Brasília (CEB) para a Bahia Geração de Energia, do grupo Neoenergia. Também assinaram o documento o presidente da CEB, Edison Garcia, Mario Ruiz-Tagle, CEO da Neoenergia, e Simone Borsato, diretora Executiva de Desenvolvimento da Neoenergia.

A cerimônia foi realizada no Palácio do Buriti. “Estou muito feliz e tranquilo com esta venda. Os recursos serão investidos onde a cidade precisa que é na infraestrutura”, afirmou o governador.

Ibaneis ainda aproveitou e agradeceu aos gestores anteriores da CEB e elogiou o trabalho feito até então. "Já demos a ordem à B3 para a liquidação das ações e transferência do dinheiro. A partir dessa ação a Bahia Geração de Energia terá a total condução da companhia”, disse o atual presidente da CEB, Edison Garcia.

Ao final desta transação, a Neoenergia poderá escolher os novos gestores da empresa.

 

A venda

A CEB foi leiloada em dezembro de 2020 na Bolsa de Valores de São Paulo (B3). A empresa foi vendida por R$ 2,51 bilhões A cifra representa um ágio de 76,63% em relação ao valor inicial de R$ 1,42 bilhão.

Recursos


Segundo a Neoenergia, os recursos serão direcionados, especialmente, para a expansão, automação e modernização do sistema elétrico, com foco na qualidade do fornecimento, satisfação dos clientes e na segurança da população. No primeiro ano de concessão, está prevista a instalação de mais de 150 religadores de linha, um crescimento de 50% do parque atualmente instalado na área de concessão. Na prática, os equipamentos inteligentes identificam e isolam o trecho defeituoso da rede, permitindo um restabelecimento mais rápido em caso de eventuais interrupções.

O mapeamento de pontos de melhorias da rede será iniciado imediatamente pela nova gestão. O trabalho envolverá uma intensa dedicação operacional, com a inspeção e manutenção de mais de 10 mil quilômetros de redes de distribuição, mais de 700 quilômetros de linhas de transmissão (percorrendo 100 % do total) e de todas as 41 subestações.

Além disso, o plano de investimentos prevê a modernização e ampliação da capacidade de atendimento por meio de instalação de novos transformadores e da construção de circuitos de interligação e de linhas de alta tensão, com a finalidade de melhorar os indicadores de continuidade e confiabilidade do fornecimento de energia.

 

Canais de atendimento


Neste primeiro momento, o atendimento aos clientes permanecerá sendo realizado pelos canais de comunicação existentes, pelo telefone 116, agências de atendimento físicas, além do portal agenciadigital.ceb.com.br. A Neoenergia promoverá, ao longo deste ano, a implantação de canais digitas de atendimentos por meio do WhatsApp e outros serviços digitais, assim como novos canais de pagamento da conta.

A Neoenergia terá também um contato proativo com os consumidores – com comunicações por e-mail, SMS, Whatsapp e outras plataformas –, novas modalidades de pagamento, como carteiras digitais e cartão de crédito e a implantação de um portal digital de negociação. Algumas dessas iniciativas já começam a ser implementadas ainda neste mês de março.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE