Tratamento

Covid-19: HUB vira referência no tratamento de reações graves à vacina

Pacientes são encaminhados ao HUB após atendimento na rede pública se for identificada a necessidade de internação hospitalar ou acompanhamento ambulatorial especializado

Correio Braziliense
postado em 03/03/2021 16:36 / atualizado em 03/03/2021 16:36
Se o paciente apresentar reações após tomar a vacina, deve procurar o HUB -  (crédito: Secom UnB/Divulgação)
Se o paciente apresentar reações após tomar a vacina, deve procurar o HUB - (crédito: Secom UnB/Divulgação)

O Hospital Universitário de Brasília (HUB) tornou-se referência no Distrito Federal para o tratamento de pessoas que apresentarem algum evento adverso grave após tomar a vacina contra a covid-19. Os pacientes são encaminhados ao HUB após atendimento na rede pública se for identificada a necessidade de internação hospitalar ou acompanhamento ambulatorial especializado. 

Após ser transferido, o paciente realizará exames para investigar se os sintomas realmente têm relação com a vacina, ou se alguma doença apareceu ou pode aparecer. São considerados eventos adversos graves as situações que exigem hospitalização por, no mínimo 24 horas, que geram sequelas, resultam em anomalia congênita (defeito grave) ou causam risco de morte.

Ambulatório especializado 

Já aqueles que desenvolvem condições leves, mas que se mantêm ao longo do tempo, ou ainda que apresentam sintomas específicos considerados de interesse especial serão encaminhados pela Secretaria de Saúde para uma consulta ambulatorial no HUB.

Inicialmente, são ofertadas 55 vagas semanais nas especialidades de neurologia, reumatologia, alergia e imunologia, gastroenterologia, hematologia, infectologia, pneumologia, dermatologia e nefrologia.

Como buscar atendimento

As pessoas que apresentarem sintomas leves após a vacina contra a covid-19 devem buscar atendimento nas unidades básicas de saúde (UBS) mais próximas. Para sintomas mais severos, a indicação é procurar as unidades de pronto-atendimento (UPA) ou emergências dos hospitais.

O pronto-socorro do HUB não deve ser procurado, já que funciona de forma referenciada, ou seja, recebe apenas pacientes encaminhados diretamente pela SES-DF. 

Depois desse atendimento inicial, se for confirmada a indicação de internação, a equipe de saúde do serviço fará a solicitação do leito ao HUB ou, se identificada a necessidade de acompanhamento ambulatorial especializado, realizará o pedido de vaga para a consulta via sistema de regulação.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE