SUPERAÇÃO

Família coloca faixa em frente ao Hospital de Base para equipe de saúde: "Obrigada por não terem desistido"

Com 1% de chance de sobrevivência, Greide passou 76 dias internada na unidade

Luana Patriolino
postado em 20/03/2021 22:02
 (crédito: Davydson Damasceno)
(crédito: Davydson Damasceno)

A dona de casa Greide Conceição, 39 anos, passou por uma cirurgia cardíaca complexa. O procedimento a deixou entre a vida e a morte com apenas 1% de chance de sobrevivência. Mas o que parecia impossível aconteceu: Greide sobreviveu e encontrou uma forma carinhosa de agradecer todo empenho dos profissionais de saúde. Ela e a família colocaram uma faixa amarela em frente ao Hospital de Base (HB) com a frase “Obrigada por não terem desistido”.

Greide passou 76 dias internada e teve alta nesta sexta-feira (19/3). No dia 12 de fevereiro, ela entrou no centro cirúrgico do Base às 8h e saiu quase 22h. O objetivo era a troca da válvula mitral do coração. No entanto, um exame de ecocardiograma durante a operação mostrou que a válvula aórtica também estava com problema.

A dona de casa, que mora em Águas Lindas, teve uma hemorragia e perdeu 81% do sangue, precisando de 28 bolsas para se recompor. “Ligaram para a minha família, dizendo para eles se prepararem. Eu só estava com 1% de chance, eles estavam me perdendo’, conta Greide. “Foi um milagre muito grande. Com certeza foi Deus”, diz.

A faixa foi uma forma de agradecer toda a equipe do hospital, incluindo médicos, enfermeiros, técnicos e fisioterapeutas. “Eles não desistiram de mim em nenhum momento. Todos se revezaram, foram seis cirurgiões”, destaca Greide.

A irmã Gláucia da Conceição Ferreira, 35 anos, dona de casa, foi quem encomendou a surpresa para o HB. “Foi uma maneira de prestar uma homenagem a eles. Na verdade, queríamos fazer um café da manhã, mas acho que ia ser muito difícil entrar com alimentos no hospital. Então, fizemos a faixa”, conta.

A dona de casa se emociona ao lembrar do dia que quase perdeu a irmã. “A enfermeira entrou em contato pedindo para a gente comparecer e se preparar porque ela estava com hemorragia, tinha perdido 80% de sangue. Precisou de mais de 28 bolsas depois”, relembra. Gláucia explica que a irmã está bem, em casa e sendo cuidada pela família. “Ela é um milagre”, acredita.

 


 

  • A dona de casa Greide Conceição, 39 anos, tinha apenas 1% de chance de sobrevivência
    A dona de casa Greide Conceição, 39 anos, tinha apenas 1% de chance de sobrevivência Foto: Davydson Damasceno
  • A dona de casa Greide Conceição, 39 anos, tinha apenas 1% de chance de sobrevivência
    A dona de casa Greide Conceição, 39 anos, tinha apenas 1% de chance de sobrevivência Foto: Davydson Damasceno
Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE