Pandemia

Covid-19: "xepa" das vacinas será para agentes de segurança pública

As doses que sobrarem após o fim do expediente nos pontos de vacinação só poderão ser aplicadas em oficiais de segurança pública. Informação foi confirmada pelo secretário da Saúde Osnei Okumoto nesta segunda-feira (29)

Samara Schwingel
postado em 29/03/2021 15:59
A xepa será preferencialmente aplicadas em agentes que acompanham a campanha de imunização -  (crédito: Marcelo Ferreira/CB/DA Press)
A xepa será preferencialmente aplicadas em agentes que acompanham a campanha de imunização - (crédito: Marcelo Ferreira/CB/DA Press)

A partir de agora, no Distrito Federal, as doses remanescentes de vacinas contra a covid-19 só poderão ser aplicadas em profissionais de segurança pública. Em coletiva, na tarde desta segunda-feira (29/3), no Palácio do Buriti, o secretário de Saúde, Osnei Okumoto, afirmou que esta categoria é essencial para o andamento do processo de vacinação. 

Porém, o secretário reforçou que a "xepa" será destinada aos agentes que estiverem trabalhando na escolta das vacinas e acompanhamento da campanha de imunização. "Caso só tenha uma dose, a gente define que o mais velho dos policiais presentes será o vacinado", exemplificou. Uma circular com mais detalhes desta mudança deve ser publicada ainda nesta segunda (29/3).

A chamada xepa é referente às doses que sobram nos frascos abertos das vacinas contra covid-19. No caso da CoronaVac, do laboratório Sinovac/Butantan, cada vidro contém o suficiente para 10 aplicações, que devem ser ministradas em até oito horas. Já o imunizante da Astrazeneca/Oxford também tem quantidade para atender a 10 pessoas, mas a validade é de seis horas.

Apesar disso, o secretário da Casa Civil, Gustavo Rocha, também presente na coletiva, informou que, ainda esta semana, as forças de segurança devem ser devidamente incluídas no grupo prioritário de vacinação contra a covid-19 no DF. "A intenção do governador (Ibaneis Rocha) é abaixar a idade, dar sequência aos profissionais de saúde e iniciar os profissionais de segurança", afirmou. 

Rocha reforçou, também, que a ampliação da vacinação para os grupos profissionais não afeta a imunização por faixa etária. 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE