Saúde

Covid-19: HFA nega pedido do GDF por leitos de UTI para o SUS

Hospital afirma funcionar no limite da capacidade técnica e de leitos. Pedido foi feito pela Secretaria de Saúde em 24 de março

Samara Schwingel
postado em 07/04/2021 14:39
Em ofício, a direção do HFA disse que não era possível disponibilizar os leitos -
Em ofício, a direção do HFA disse que não era possível disponibilizar os leitos -

O Hospital das Forças Armadas (HFA) negou ceder leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) para tratamento da covid-19 de pacientes da Secretaria de Saúde do Distrito Federal. De acordo com ofício encaminhado ao secretário-adjunto de assistência à Saúde, Petrus Sanchez, a direção do HFA afirmou que a unidade funciona no limite da capacidade técnica e de leitos. 

"[...] considerando que o Hospital das Forças Armadas, no momento, encontra-se funcionando no limite de sua capacidade técnica e de leitos para prestar assistência média aos pacientes com covid-19 e que não tem convênio com o SUS, possuindo rol restrito e legalmente delimitado de beneficiários, não será possível a disponibilização de leitos de enfermaria ou UTI covid-19 para a internação de pacientes oriundos da rede pública de saúde [...]", diz o ofício assinado pelo comandante logístico da unidade.  

Na manhã desta quarta-feira (7/4), havia apenas um leito de UTI voltado para o tratamento da covid-19 em adultos disponíveis na rede pública. De acordo com os dados atualizados às 6h10 no painel InfoSaúde, 99,75% dos leitos adultos estavam cheios.

O pedido

Em 24 de março, a Secretaria de Saúde encaminhou um ofício ao HFA pedindo a disponibilização de leitos de enfermaria ou UTI para covid-19 a fim de ampliar o atendimento aos pacientes da rede pública. Na época, os gestores da pasta pediram que a unidade considerasse a situação da taxa de ocupação na rede pública. 

O documento foi assinado por Petrus Sanchez e pelo Secretário de Saúde Osnei Okumoto. Tanto o HFA quanto a secretaria foram procurados pela reportagem para comentar o caso, mas, até a mais recente atualização, nenhuma das partes se manifestou. O espaço segue aberto.

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE