Cultura

Jornalista Adirson Vasconcelos lança duas enciclopédias sobre Brasília

Adirson Vasconcelos também é historiador e aproveitou a pandemia para escrever dois livros que recontam a história da capital ao longo dos últimos 60 anos. Um deles coloca em foco fatos que impactaram o Distrito Federal no primeiro ano da crise da covid-19

» CIBELE MOREIRA
postado em 01/05/2021 06:00
"No ano passado, sem poder sair de casa, me dediquei a pensar e meditar sobre as origens de Brasília ao longo dos tempos. Resolvi namorar Brasília escrevendo", diz Adirson Vasconcelos, historiador e jornalista - (crédito: Arquivopessoal)

O amor por Brasília, mais uma vez, se transforma em obra literária pelas mãos do historiador e jornalista Adirson Vasconcelos, 84 anos. No mês em que a cidade completa 61 anos, o comunicador lança duas enciclopédias que recontam a história da capital ao longo das seis décadas de existência. A Enciclopédia Brasília — 60 anos traz um apanhado de fatos marcantes com recortes de tempo das décadas de 1960, 1970, 1980, 1990, 2000 e 2010, além de fotos históricas feitas entre 1960 e 2019. De acordo com Adirson, o livro vem como um homenagem para a capital, a qual ele adotou como lar desde o instante em que desembarcou na cidade para fazer a cobertura jornalística da pedra fundamental, em 1957.


O isolamento social, imposto pela pandemia da covid-19, resultou na criação da segunda enciclopédia: 2020 — Brasília e o 3º Milênio. Nesta obra literária, Adirson Vasconcelos pontua, dia a dia, fatos que ocorreram ao longo do último ano e relembra episódios marcantes na capital. “O livro reúne a história do presente, do futuro e do passado, coloca para o leitor o significado de cada acontecimento e o convida para uma reflexão. São todos fatos históricos, que o leitor fará sua análise e conclusão”, explica Adirson.


“No ano passado, sem poder sair de casa, me dediquei a pensar e meditar sobre as origens de Brasília ao longo dos tempos. Resolvi namorar Brasília escrevendo”, declara-se Adirson. Na segunda enciclopédia, o jornalista utilizou como fonte o Correio Braziliense para ressaltar as notícias que estavam em alta no ano passado. As referências ao jornal aparecem no livro com indicação dos títulos das matérias e a íntegra dos textos publicados no periódico. Especialistas ganharam destaque na obra, com questões pertinentes que entraram em debate no último ano. “O livro recorda fatos de interesse público publicados no jornal mais tradicional de Brasília, do qual tenho orgulho de dizer que fiz parte”, ressalta o jornalista que trabalhou no Correio por 45 anos.


Para Adirson, as duas enciclopédias de Brasília são uma oportunidade de a população em geral conhecer a história da cidade, atentando-se ao que realmente aconteceu. Muitos dos pontos destacados por ele nos livros foram vivenciados pelo próprio Adirson ou obtidos por meio da expertise jornalística, que trouxe informações presentes em documentos oficiais da época. “Sempre escrevi sobre Brasília, tenho vários livros publicados. Ao longo dos anos, criei meu próprio museu de Brasília, com utensílios da época da construção da capital, como as bandejas utilizadas pelos candangos. Fotos antigas e documentos, eu guardo tudo”, frisa. “Esses dois livros resumem bem a história da capital. Mereciam chegar às bibliotecas”, completa Adirson.


A paixão por Brasília iniciou em maio de 1957, quando o comunicador saiu do Ceará para fazer a cobertura da pedra fundamental que marcaria a capital do Brasil, pelo jornal Correio do Povo. Aqui, diante da imensidão do cerrado e com o colorido do céu, encantou-se e fez do quadradinho o seu lar. Adirson acompanhou, de perto, a cidade crescer e ganhar forma, cores e se destacar no cenário nacional. “E tenho vivido intensamente. E tenho fé de que Brasília é a capital do 3º Milênio”, afirma Adirson, citando uma das falas ditas por Juscelino Kubitschek: “Brasília é a capital do Terceiro Milênio”.


A escrita como pano de fundo para falar sobre o coração do Brasil iniciou logo nos primeiros momentos de Adirson em território brasiliense. Com caneta e papel na mão para anotar tudo que era erguido e criado aqui, o jornalista desenvolveu uma ligação muito forte com o Distrito Federal, indo além das publicações nos veículos de comunicação em que ele trabalhava. O primeiro livro publicado, em 1960, intitulado O homem e a cidade, fala um pouco sobre esse período da construção de Brasília. Desde então, não parou mais, são 61 obras lançadas pelo jornalista — todas com alguma referência à capital.


São seis décadas de estudos, pesquisas e vivências. Em Brasília, Adirson criou raízes. Hoje, ele tem sete filhos e 11 netos. “Sou o homem mais feliz do mundo”, celebra o jornalista. Sobre uma Brasília do futuro, ele espera dias melhores. “Fazer dessa cidade uma nova Jerusalém, mais cívica e fraterna. A capital de uma nova civilização, do amor e da fraternidade. A capital da esperança”, finaliza o escritor.

Para ter em casa

Com duas mil cópias de cada edição, os interessados podem adquirir os livros pelos telefones: (61) 3036-7822 / 3324-6544 ou pelos e-mails: adirson@bol.com.br, conhecaadirsonebrasilia@gmail.com e ihgdistritofederal@gmail.com.
Enciclopédia Brasília — 60 anos: R$ 90
Enciclopédia 2020 — Brasília e o 3º Milênio: R$ 100

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE