Vacinação

DF estabelece novas regras para aplicação de vacinas remanescentes

Devido à durabilidade de 2ºC a 8ºC por até 48 horas, o comitê da Secretaria de Saúde optou por utilizar as doses contra a covid-19 que sobraram do frasco aberto somente no dia seguinte

Pedro Marra
postado em 02/05/2021 15:41
 (crédito: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
(crédito: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF) publicou uma circular com orientações técnicas sobre o uso de doses remanescentes de vacinas contra a covid-19. A pasta informa que a vacina AstraZeneca, produzida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), após aberta, pode ser armazenada por até 48 horas a uma temperatura entre 2°C e 8°C. Devido a essa durabilidade, o Comitê Operacional de Vacinação Contra a covid-19 optou por utilizar, no dia seguinte, as doses que sobrarem dos frascos abertos.

Em relação à vacina CoronaVac, segue a determinação anterior de utilizar as doses remanescentes em idosos. Após aberto, o imunizante produzido pelo Instituto Butantan pode ser aplicado em um período de até oito horas, tempo em que deverá estar armazenada em temperatura de 2°C a 8°C.

“Com essa alteração na estratégia e otimização do uso da D2 de CoronaVac, as unidades já apontaram que não está tendo sobra, mas, caso haja dose remanescente, pode ser aplicada nos idosos para atingirmos esse público em sua totalidade”, afirma a chefe da Rede de Frio, Tereza Luiza.

Na última sexta-feira (30/4), a Secretaria de Saúde anunciou que a aplicação da segunda dose da CoronaVac ocorrerá, temporariamente, em 16 locais de vacinação para otimizar as doses e organizar o serviço a fim de garantir a aplicação das duas doses (D1 e D2) com o intervalo preconizado.

Ainda segundo a pasta, a mudança ocorre devido a disponibilidade de doses dessa vacina repassada pelo Ministério da Saúde e, disponibilizando em menos locais, e evita-se possíveis perdas com a abertura de frascos no caso de não haver público suficiente no final do dia para aplicação das doses.

Das vacinas recebidas com a fórmula do laboratório AstraZeneca, houve remessas de lotes produzidos pelo Instituto Serum, na Índia. As vacinas produzidas em território indiano receberam o nome de Covishield. Também houve remessa da vacina Covax Supply, produzida na Coreia do Sul. Essas desembarcaram no Brasil por meio do consórcio Covax Facility. Já o imunizante produzido na Fiocruz é chamado de Vacina Covid-19 (recombinante).

A CoronaVac tem intervalo de aplicação de 14 a 28 dias entre a dose inicial e a de reforço. A AstraZeneca tem especificações diferentes conforme o fabricante. O intervalo de aplicação é de 12 semanas. O DF já recebeu 276 mil doses desse imunizante.

*Com informações da Secretaria de Saúde

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE