Crime

Autor de feminicidio em Sobradinho tem histórico de crimes contra a mulher

De acordo com investigações da 35ª Delegacia de Polícia (Sobradinho II), a vítima chegou a entrar com duas medidas protetivas contra o agressor

Cibele Moreira
postado em 08/06/2021 12:20 / atualizado em 08/06/2021 14:14
 (crédito: Arquivo Pessoal)
(crédito: Arquivo Pessoal)

Fernanda Landim Almeida, 33 anos, foi morta pelo companheiro, 28 anos, na madrugada desta terça-feira (8/7) na casa onde morava. O homem, preso em flagrante pelo Polícia Militar, confessou o crime. De acordo com investigações da 35ª Delegacia de Polícia (Sobradinho II), a vítima chegou a entrar com duas medidas protetivas contra o agressor, uma em 2019 e outra em 2020. No entanto, em 15 de maio, a Justiça revogou a medida protetiva após pedido de Fernanda.

Segundo o delegado-chefe da 35ª Delegacia de Polícia, Laércio Carvalho, ela chegou a ir à delegacia algumas vezes para retirar a medida. O agressor tem várias passagens pela polícia por ter cometido crimes como tráfico de drogas, homicídio tentado, roubo, entre outros.  Nos arquivos da Polícia Civil, foram encontrados seis passagens dele envolvendo violência doméstica, agressão, injúria e ameaça contra Fernanda Landim. 

Vizinhos relataram para a polícia que o casal havia se mudado há pouco tempo e que as brigas e desentendimentos eram recorrentes. Na madrugada desta terça-feira (8/6), os dois discutiram e ele chegou a sair. Por volta das 3h, o homem retornou para casa depois de pular o muro de três metros de altura. "Ele conta que, quando voltou, ela estava com uma faca na mão. Ele tomou a faca e desferiu o golpe fatal, no abdomen", conta Laércio.

O delegado ressalta ainda que, após a agressão, o homem chegou a gritar "eu feri ela, eu feri ela". Vizinhos escutaram os gritos e acionaram a polícia. "Depois de feri-la, ele deixou a faca no local do crime e fugiu com a bainha da faca na cintura. Se escondeu em uma residência próxima, a mais ou menos mil metros de distância, quando houve o cerco e ele foi preso", destacou Laércio Carvalho. 

De acordo com o relato do agressor, o motivo da briga foi ciúmes. Os dois têm uma filha de 2 anos, que ficou com a avó materna. O casal morava de aluguel em um lote com várias residências há menos de um mês. Segundo as investigações da polícia, os dois estavam juntos desde 2016. 

O agressor foi encaminhado para a carceragem da Polícia Civil, e vai responder por feminicídio. Ele pode pegar até 30 anos de reclusão. 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE