Crime

"Fazendo as polícias do DF e de Goiás quase de bobas", diz Ibaneis sobre Lázaro

Após oito dias de intensas buscas, acusado da chacina que deixou quatro pessoas mortas no Incra, 9, em Ceilândia, continua foragido

Ana Maria da Silva
postado em 16/06/2021 12:00 / atualizado em 16/06/2021 13:00
A declaração foi feita após Ibaneis assinar a ratificação do termo de compromisso para a regularização fundiária do Condomínio Privê Morada Sul, Etapa C, no Jardim Botânico -  (crédito: Ana Maria da Silva)
A declaração foi feita após Ibaneis assinar a ratificação do termo de compromisso para a regularização fundiária do Condomínio Privê Morada Sul, Etapa C, no Jardim Botânico - (crédito: Ana Maria da Silva)

O governador do Distrito Federal Ibaneis Rocha (MDB) comentou as buscas de Lázaro Barbosa de Sousa, 32 anos. O homem é acusado da chacina que deixou quatro pessoas mortas no Incra, 9, Ceilândia. “Está passando da hora dele ser preso e vir para a Papuda curtir sua pena, durante longos anos”, afirmou o chefe do executivo local na manhã desta quarta-feira (16/6).

“Essa caçada nos impressiona muito, porque são quase 300 homens da polícia do Distrito Federal e de Goiás que estão atrás desse marginal e que não conseguiram ainda localizá-lo. Espero que isso aconteça o mais rápido possível, para que a gente possa tranquilizar as famílias daquela região e dar a punição devida a esse marginal que vem causando tanto mal e que vem fazendo a polícia do Distrito Federal e do Goiás quase como de bobas”, disse o governador.

A declaração foi feita após Ibaneis assinar a ratificação do termo de compromisso para a regularização fundiária do Condomínio Privê Morada Sul, Etapa C, no Jardim Botânico. As buscas por Lázaro já entraram no oitavo dia.

Entenda o caso

Lázaro Barbosa é apontado como o autor da chacina que tirou a vida de quatro pessoas da mesma família em Ceilândia Norte. Depois de assassinar a facadas e tiros Cláudio Vidal, 48, e os filhos Carlos Eduardo, 21, e Gustavo, 15, o homem sequestrou Cleonice Vidal, mãe dos jovens. A vítima foi encontrada no sábado (12/6), sem vida. A família foi enterrada nesta segunda-feira (14/6), no cemitério de Taguatinga. Durante o sepultamento, parentes e amigos pediam por justiça.

Além das mortes, Lázaro ainda invadiu várias chácaras da região do Entorno, e feriu mais pessoas durante a fuga da polícia. No domingo (13/6), ele roubou um carro de uma outra fazenda, e iria usá-lo para fugir de vez da polícia.

Contudo, abandonou o veículo na rodovia e desapareceu na mata depois de se deparar com o bloqueio policial. Mais de 200 agentes da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), da Polícia Militar (PMDF), da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e da Polícia Federal (PF) procuram por Lázaro Barbosa no distrito de Edilândia (GO).

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE