INVESTIGAÇÃO

Defesa de fazendeiro suspeito de ajudar na fuga de Lázaro pede prisão domiciliar

Na solicitação, a defesa enfatizou as condições precárias dos presídios e a falta de atendimento médico especializado

Darcianne Diogo
postado em 25/06/2021 19:16 / atualizado em 25/06/2021 19:31
 (crédito: Ed Alves/CB/DA Press)
(crédito: Ed Alves/CB/DA Press)

A defesa do fazendeiro Elmi Caetano Evangelista, 73 anos, preso por suspeita de auxiliar na fuga de Lázaro Barbosa Sousa, 32, e de portar armas de fogo, solicitou à Vara Criminal da Comarca de Cocalzinho de Goiás a prisão domiciliar e a concessão da liberdade provisória durante audiência de custódia realizada nesta sexta-feira (25/6). Até as 18h30 de hoje, o resultado do julgamento não havia saído.

O Correio teve acesso ao documento de pedido enviado pelos advogados Abel Cunha e Ivan Barbosa, que representam Elmi. Na solicitação, a defesa enfatizou as condições precárias dos presídios e a falta de atendimento médico especializado. "[...] A necessidade de cuidado do tratamento do flagranteado para que sua enfermidade não se transforme em um mal maior."

Com base nisso, os advogados requisitaram a prisão domiciliar diante do quadro clínico de Elmi. O fazendeiro e o caseiro dele, identificado como Alain Reis de Santana, 32, foram presos nesta quinta-feira em Girassol (GO). Em depoimento, ao qual o Correio teve acesso, Alain alegou que o patrão acobertou o fugitivo.

Questionado sobre a presença de Lázaro Barbosa no local, o caseiro relatou que o suspeito estava pernoitando há mais de cinco dias e que chegou a vê-lo por diversas vezes, inclusive portando uma espingarda e um celular. Comentou que Lázaro estaria almoçando e jantando diariamente na sede da fazenda, com o consentimento de Elmi.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE