CORONAVÍRUS

Variante Delta: em pior cenário, DF pode ter mais 728 mortes até 16 de agosto

Pesquisador Breno Adaid levantou estimativas e calcula que capital federal pode ter mais 24,9 mil casos de covid-19, devido ao avanço da variante Delta. Órgão de saúde dos Estados Unidos considera cepa tão contagiosa quanto catapora

Samara Schwingel
postado em 31/07/2021 06:00 / atualizado em 31/07/2021 13:00
 (crédito: Kaust/Ivan Viola/Divulgação)
(crédito: Kaust/Ivan Viola/Divulgação)

Apesar de a Secretaria de Saúde ter identificado 45 casos de infecção pela variante Delta da covid-19 — identificada primeiro na Índia —, a nova cepa pode ter impactos significativos para o controle da pandemia. Projeções de Breno Adaid, pesquisador do Centro Universitário Iesb e doutor em administração e pós-doutor pela Universidade de Brasília (UnB) em ciência do comportamento, demonstram que, até 16 de agosto — considerado o pior cenário —, a capital federal pode ter 24,3 mil novos casos e mais 729 vítimas da covid-19. Sem o impacto desse fator, os registros do período ficariam em 7,5 mil e 150, respectivamente (leia Possibilidades).

Breno calcula outros cenários para as próximas semanas: “O esperado é de 14 mil casos (com a disseminação da Delta), mas podemos chegar a 24 mil até a metade do mês”. Ele acrescenta que os hábitos da população também têm efeitos para o avanço da pandemia. “Se não houvesse essa variante, a expectativa era de que continuássemos (com números) em torno do que temos hoje — cerca de 500 ou 600 casos por dia. Claro que isso depende muito, também, do comportamento dos brasilienses”, ressaltou.

Apesar das projeções, representantes do Executivo local acreditam que o DF tem capacidade para lidar com a Delta. O governador Ibaneis Rocha (MDB) afirmou, nessa sexta-feira (30/7), que a Secretaria de Saúde tem condições de atender a população e, por isso, considera não haver necessidade de adotar novas medidas restritivas para combater mais infecções pela cepa. Para exemplificar, o chefe do Executivo local mencionou os hospitais de campanha de Ceilândia, do Gama e do Autódromo Nelson Piquet — construídos para tratar pacientes com covid-19. Apesar disso, o chefe do Buriti alertou para a necessidade de manter os cuidados.

Professora de imunologia na Universidade de Brasília (UnB), Anamélia Bocca afirmou que, caso a Delta demonstre ter impacto para o aumento de casos, será necessário definir restrições. “Temos de observar como ela (a variante) vai se comportar aqui no DF. Até lá, é importante que as pessoas se vacinem com as duas doses, continuem a usar máscaras, mantenham o distanciamento social e evitem lugares fechados, principalmente agora, no frio”, recomendou.

A especialista mencionou, ainda, a decisão do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês) dos Estados Unidos, que recomendou a retomada do uso de máscaras em partes do país norte-americano, devido à variante. Em nota divulgada nesta semana, o órgão ressaltou que a Delta é tão contagiosa quanto a catapora e lembrou que mesmo pessoas vacinadas podem transmiti-la. Duas pessoas morreram no Distrito Federal por causa da nova cepa.

Estimativas de casos e mortes no DF até 16 de agosto
Estimativas de casos e mortes no DF até 16 de agosto (foto: Editoria de Arte/CB)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE