Solidariedade

Projeto auxilia famílias de doadores de órgãos a lidarem com o luto

Equipe de psicológicos realiza atendimentos por telefone e dá suporte aos familiares por meio do projeto Follow-up

Correio Braziliense
postado em 18/08/2021 17:43 / atualizado em 18/08/2021 17:43
 (crédito: Breno Esaki)
(crédito: Breno Esaki)

A Central Estadual de Transplantes do Distrito Federal (CET-DF) está realizando o projeto Follow-up, que presta apoio e auxilia o acompanhamento psicológico das famílias que autorizaram a doação de órgãos de um familiar falecido. Por meio do atendimento, as equipes da Secretaria de Saúde ajudam os familiares a lidar com o processo do luto.

O Follow-up foi criado em abril deste ano e já foi ofertado para 26 famílias de doadores. A doação de órgãos só pode ser realizada caso a família autorize e para isso é preciso assinar um documento junto a duas testemunhas, conforme está previsto na legislação brasileira.

O objetivo do projeto é dar suporte à perda do doador e prevenir a saúde mental. A equipe do Follow-up, composta por psicólogos, observam e analisam se há algum fator de risco e de proteção ao luto orientando sobre as estratégias que se deve tomar para lidar com a perda.

O atendimento é realizado da seguinte forma: a equipe entra em contato com o familiar por meio de uma ligação ou por mensagem de texto e pergunta como a pessoa vai indo para saber como está passando pelo processo do luto. Também é oferecida assistência psicológica convidando a pessoa a participar de três atendimentos telefônicos.

Psicóloga da CET-DF, Esther Almeida explica como a equipe aborda os familiares. “Inicialmente, ligamos para os familiares autorizadores explicando o trabalho e convidando-os para o atendimento. Quando não conseguimos contato por telefone, enviamos uma mensagem por WhatsApp, apresentando a proposta de trabalho. Em caso de interesse pelo atendimento, solicitamos que sinalize o melhor dia e turno para contato”, diz Esther.

*Com informações Secretaria de Saúde do Distrito Federal

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE