TRÂNSITO

Motoristas que disputaram racha são indiciados por atropelar e matar mulher

Lucas Rodrigues e Alisson Herbert devem responder pelos crimes de homicídio doloso, omissão de socorro e prática de racha

Renata Nagashima
postado em 16/09/2021 17:47
 (crédito: PCDF/Divulgação)
(crédito: PCDF/Divulgação)

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) indiciou Lucas Rodrigues Abreu, 23 anos, e Alisson Herbert de Jesus Reis por atropelar e matar, em uma faixa de pedestres, Sheila Mendonça, 43 anos, em 2 de julho, na QNL 13, em Taguatinga. Segundo o delegado Mauro Aguiar, da 17ª Delegacia de Polícia, os dois disputavam um racha no momento da batida. Eles responderão pelos crimes homicídio doloso, omissão de socorro e prática de racha.

A princípio, os envolvidos negaram a disputa de racha. Porém, além da confirmação por parte das testemunhas ouvidas, perícias feitas baseadas na imagens das câmeras de monitoramento constaram que a velocidade do veículo dirigido por Lucas era de 119.5 km/h, e a do carro conduzido por Alisson era de 115 km/h. A velocidade máxima da via é de 50 km/h.

Em depoimento, uma testemunha que estava com o grupo, mas em outro veículo que não participou do racha, alegou que eles não sabiam da corrida. “A gente não sabia que eles estavam apostando rachinha. Aí, eles falaram depois que estavam, e que não viram a mulher”, disse.

O delegado afirmou que os dois assumiram o risco de matar e que a ação de um influenciou a do outro, por isso serão indiciados pelos mesmo crimes. “Se o Alisson não tivesse aderido conduta do Lucas e vice-versa, o resultado seria outro. Os dois participavam do racha, por isso não tem co-autor, os dois são responsáveis”, disse.

De acordo com o delegado, as investigações reconstituíram o crime desde o momento em que o grupo deixou um bar hookah, onde ingeriam bebidas alcoólica e fumaram narguilé. Depoimentos de testemunhas que estavam dentro dos veículos apontaram que os envolvidos estavam alcoolizados. “Esse é um dos motivos de não terem prestado socorro. Eles sabiam que, se a polícia chegasse e constatasse que haviam bebido, eles seriam indiciados na hora”, apontou o delegado.

Lucas morava a 150 metros do acidente, e de acordo com o delegado, ele conhecia a via. “Ele não pode alegar desconhecimento do local. Não poderia passar naquela velocidade e tirar a vida de uma mulher de forma bruta, em um lugar que ele passa diariamente e sabia que ali existe uma faixa.”

Lucas Rodrigues e Alisson Herbert estão soltos por serem réus primários e terem se apresentado espontaneamente. Os dois poderão pegar pena de 10 a 20 anos de reclusão. O Correio tentou contato com as defesas dos acusados, mas não obteve resposta até a última atualização desta matéria.


O crime

O acidente ocorreu em 2 de julho, logo após a meia noite. Sheila Mendonça andava com o marido e a filha quando foi atingida. Os dois estavam um pouco atrás e não se feriram. A vítima foi arremessada a cerca de 40 metros. O motorista Lucas Rodrigues fugiu sem prestar socorro. Câmeras de segurança registraram a fuga e o momento em que ele e a namorada saíram de Uber após esconderem o veículo no prédio onde o rapaz mora.

O carro foi apreendido horas após o crime e Lucas se apresentou na delegacia três dias depois. Em depoimento, ele negou participação em racha e alegou não ter prestado socorro por medo.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE