OUTUBRO ROSA

Hospital de Base promove mutirão de cirurgias de câncer de mama

Ação começou nesta segunda-feira (4/10) e contempla 170 pacientes que aguardavam na fila de regulação para cirurgia de retirada de tumores na mama

Correio Braziliense
postado em 05/10/2021 00:25 / atualizado em 05/10/2021 17:32
 (crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)
(crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)

No mês de conscientização a prevenção ao câncer de mama, a Secretaria de Saúde promove uma série de ações relacionados ao tema. Entre eles, o mutirão de cirurgia de retirada do tumor que começou nesta segunda-feira (4/10) no Hospital de Base e segue até 31 de outubro. 

Ao todo, serão contempladas 48 mulheres que estavam na fila de regulação para a retirada do câncer de mama. Dessa forma, a iniciativa zera a espera pelo procedimento no Hospital de Base. A ação também ira beneficiar 20 mulheres com câncer ginecológico.

Para atender a demanda, aproximadamente 200 profissionais estão mobilizados, entre técnicos de enfermagem, enfermeiros, mastologistas, ginecologistas e anestesistas — sendo que 12 dos anestesistas são voluntários e ex-colaboradores do hospital que se disponibilizaram a ajudar durante todo o mês. 

Todas as pacientes que foram beneficiadas pelo mutirão passaram por todo o processo antes da indicação da cirurgia, como consultas, exames de imagem e laboratoriais. A depender do caso, o tratamento cirúrgico pode ser complementado com quimioterapia ou radioterapia. 

As operações estão sendo realizadas em duas salas do Centro Cirúrgico disponibilizadas exclusivamente para realizar os procedimentos de segunda a sábado. 

Projeção 

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), a estimativa é de que o Brasil tenha 66.280 novos casos de câncer de mama em 2021. No Hospital de Base, que é referência no tratamento oncológico, apenas neste ano, 210 mulheres iniciaram o tratamento para combater esse tipo de tumor. De acordo com dados da Secretaria de Saúde, desde janeiro foram realizadas 630 consultas de acompanhamento. 

O diagnóstico do câncer de mama pode ser feito pela mamografia, exame de imagem que deve ser feito a cada dois anos pelas mulheres com idade entre 50 a 59 anos de ou que tenham sintomas da doença, independentemente da faixa etária.

O oncologista clínico do Hospital de Base, Gustavo Matos, ressalta que quando mais cedo for o diagnóstico, maior é a chance de cura. Segundo ele, na fase inicial, é possível fazer uma cirurgia que conserva a mama, preservando as áreas não afetadas pelo câncer. 

Na avaliação dele, o Outubro Rosa é importante para que as mulheres criem uma consciência corporal e, caso identifiquem sinais e sintomas, façam o rastreamento para averiguar se têm a doença. 

O que é câncer de mama e quais os sintomas?

De acordo com o Ministério da Saúde, câncer de mama é o tipo mais comum da doença entre as mulheres no mundo e no Brasil, depois do câncer de pele não melanoma. O câncer de mama também acomete homens, porém é raro, representando menos de 1% do total de casos da doença. Relativamente raro antes dos 35 anos, acima desta idade sua incidência cresce progressivamente, especialmente após os 50 anos.

O sintoma mais comum da doença é o aparecimento de nódulo, geralmente indolor, duro e irregular, mas há tumores que são de consistência branda, globosos e bem definidos. Outros sinais são:

– Edema cutâneo (na pele), semelhante à casca de laranja
– Retração cutânea
– Dor
– Inversão do mamilo
– Descamação ou ulceração do mamilo
– Secreção papilar, especialmente quando é unilateral e espontânea

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE