CRIME

"Ritual macabro": homem teria utilizado uma tesoura para matar a vítima

Suspeito de ter cometido crime em Samambaia Norte com indícios de "ritual macabro" tem 15 passagens pela polícia

Freddy Charlson - Especial para o Correio
postado em 09/10/2021 18:02 / atualizado em 09/10/2021 18:05
Antônio Carlos Pires de Lima foi morto pelo amigo enquanto dormia -  (crédito: Divulgação )
Antônio Carlos Pires de Lima foi morto pelo amigo enquanto dormia - (crédito: Divulgação )

Uma tesoura foi a arma do crime que chocou os moradores da cidade de Samambaia. De acordo com investigações da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), o objeto foi utilizado na morte e esquartejamento do corpo do catador de recicláveis Antônio Carlos Pires de Lima, 33 anos, durante um “ritual macabro”. O crime ocorreu em 1º de outubro e o autor foi preso nesta sexta (8/10). 

De acordo com a polícia, o suspeito nega ter cometido o assassinato. “Após sua prisão, ele foi encaminhado ao Departamento de Polícia Especializada (DPE), local em que aguarda a audiência de custódia”, afirmou o delegado-adjunto da 26ª Delegacia de Polícia (Samambaia Norte), Rodrigo Carbone.

O homem foi indiciado por homicídio duplamente qualificado e por ocultação de cadáver. “Ele utilizou-se de meio cruel e que impossibilitou a defesa da vítima, que estava dormindo. O crime foi cometido a golpes de tesoura", destacou Carbone. O acusado de ter cometido o crime - cujo nome não foi divulgado - também é catador de recicláveis e morava com a vítima, em uma casa na QR 405.

Segundo as investigações, o suspeito teria matado Antônio Carlos na própria casa em que viviam e posteriormente cortado a vítima em pedaços e levado à um terreno baldio à dois quarterões de distancia da casa, onde queimou o corpo.  

A polícia chegou ao local do crime após denúncia anônima. Lá, a perícia encontrou pedaços de fêmur e da coluna cervical da vítima. Após as diligencias, os policiais localizaram a casa onde os dois moravam. “Havia muito sangue na sala da casa. Acessamos o local, com base em apoio de testemunhas e filmagens. Entramos na casa e vimos logo elementos que indicavam que ali havia algum tipo de culto, com desenhos de 666 e demônios nas paredes. Enfim, juntamos as peças até chegar ao autor, que era amigo da vítima”, explica o delegado. Segundo ele, a vítima tem família do Piauí.

  • PCDF prende homem que matou e bebeu sangue da vítima
    PCDF prende homem que matou e bebeu sangue da vítima PCDF
  • PCDF prende homem que matou e bebeu sangue da vítima
    PCDF prende homem que matou e bebeu sangue da vítima PCDF
  • PCDF prende homem que matou e bebeu sangue da vítima
    PCDF prende homem que matou e bebeu sangue da vítima PCDF
  • PCDF prende homem que matou e bebeu sangue da vítima
    PCDF prende homem que matou e bebeu sangue da vítima PCDF
  • PCDF prende homem que matou e bebeu sangue da vítima
    PCDF prende homem que matou e bebeu sangue da vítima PCDF

Monte de Oração

De acordo com as investigações, depois de ter cometido o crime, o suspeito fugiu e buscou refúgio no Monte de Oração de Samambaia, local utilizado por religiosos para fazer romarias e peregrinações. O local fica em um vale, após as quadras 617 e 619 da cidade. “Ele não tinha o que comer ou para onde ir e ficou escondido. As pessoas que frequentam o local sempre ajudam quem chega ali para pedir comida, por exemplo”, conta o delegado.

O suspeito teria se aproveitado da boa recepção dos fiéis no Monte de Oração. A polícia conta que uma pessoa que ele conheceu e que mora próximo ao local deu-lhe comida e abrigo por um dia. “Ele até furtou R$ 50 da pessoa e fugiu. Ficamos quase um dia dentro da mata atrás dele. Coletamos as informações, preparei um pedido de prisão preventiva. E ele foi preso na sexta-feira (8/10), numa região próxima ao local do crime. Estava com fome e teria voltado para pegar algumas coisas na casa em que vivia com a vítima”, informa Rodrigo Carbone.

Segundo o delegado, o suspeito tem uma ficha policial extensa que inclui roubos, furtos, lesões corporais, desacato, resistência à prisão, descumprimento de Saidão e até uma Lei Maria da Penha, resultado de agressões cometidas contra a própria mãe, que também mora em Samambaia e de cuja casa ela o expulsou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE